Opinião

Viabilidades e inviabilidades do Ruth Cardoso e da saúde de BC

A tentativa (válida), de tentar resolver a situação sempre constrangedora e problemática do Hospital Ruth Cardoso exclui a continuação do sistema atual – complicado, inadministrável e irreal em termos de custo. Ora por descontrole do sistema, ora por uso abusado por parte dos municípios da região, ora também pela omissão franca e continuada do governo do Estado.

Leia opiniões sobre outros assuntos.

Últimas notícias

MPSC pede, de novo, afastamento de dirigentes da FAMAI de Itajaí

27/07/2017

Conforme apurou o Promotor de Justiça Álvaro Pereira de Oliveira Melo, continuam sendo perpetradas ilicitudes na FAMAI, desta vez com a falsificação da data de protocolo de um documento para mascarar atos ilícitos. A falsificação foi comprovada por análise do Instituto Geral de Perícias em laudo juntado aos autos.

Rosan da Rocha vai em cima de diretoria ilegal de União de Bairros

27/07/2017

Promotor de Justiça Rosan da Rocha insta prefeito Fabrício de Oliveira a revogar decreto que nomeou o novo Conselho Municipal de Saúde (COMUS). Para o promotor, há flagrante ilegalidade na indicação dos membros, por não terem as associações seguido seus próprios regimentos na escolha de seus dirigentes.

Crimes virtuais na mira do Gaeco em Blumenau

26/07/2017

O GAECO iniciou as investigações a partir do mês de março e apurou a existência de uma organização criminosa que atua na criação de falsas empresas virtuais e realiza vendas de produtos variados pelo site, recebendo os pagamentos através de boletos ou depósitos bancários, sem fazer qualquer tipo de entrega.

Governador e Pavan visitam obra do Centro de Eventos

26/07/2017

Ainda falta licitar divisórias, sistema elétrico, sistema de som, ar condicionado, acústica, mobiliário e outras coisas, sem as quais não funcionará. A obra física pronta é uma coisa - e já é uma empreitada e tanto. O Centro de Eventos prontinho para funcionar é outra.

GAECO investiga concessão ilegal de alvarás em Itapema

24/07/2017

A operação Castelo de Areia é resultado de uma investigação iniciada no ano de 2017, cujo conteúdo indicava que servidores públicos daquele município estariam recebendo vantagens indevidas para a concessão ilegal de alvarás para vendedores ambulantes que atuam na cidade durante o período de veraneio.

Preso acusado de golpes imobiliários em Balneário Camboriú

21/07/2017

J. D. foi investigado por vender imóveis de leilões fictícios a pelo menos quatro vítimas. O golpista utilizava o nome de uma Juíza de Balneário Camboriú, dizendo com isso que conseguia celeridade no processo, facilidade e prioridade para arrematar os bens. O golpe milionário também era oferecido a um valor bem abaixo do de mercado.

Ver todas as notícias