Vereadores de Camboriú querem investigar concessão da água

Desde o final de janeiro de 2017, os vereadores John Lenon Teodoro (PSDB), Márcio Pereira (PV), Fabiano Olegário (PDT), Amilton Bianchet (PSDB) e Vilson Albino (PV), estão investigando a concessão da água em Camboriú. Através de requerimentos, ofícios e análise de informações, vindas do executivo e da própria empresa, estes vereadores estão construindo com cautela um dossiê, que segundo John Lenon, já tem uma informação sigilosa que pode resultar em uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI.

“Estamos realmente preocupados com a situação da terceirização em nosso município, mas estamos tendo o cuidado de analisar meticulosamente cada dado, para promover uma investigação responsável e determinante”, contou o vereador.

Fabiano Olegário explicou que a decisão de falar agora sobre o assunto é decorrente das ultimas declarações vindas de alguns vereadores e até do executivo. “De um dia para o outro começaram a falar do assunto sem um conhecimento aprofundado. Sabemos que é um assunto delicado, é preciso ter cautela”, ressaltou.

O grupo de vereadores explicou que continuarão com as investigações e que o único objetivo é fazer com que os serviços no município funcionem devidamente e sem fraudes. Para que a CPI seja instaurada, será necessário que pelo menos um terço dos membros da casa legislativa, assine o pedido de instauração. Caso esse número não seja alcançado, o autor ainda pode tentar aprovar o pedido através da apreciação do Plenário. Além disso, é necessário que o pedido de abertura de uma CPI tenha bem claro o fato a ser investigado (o chamado fato determinado) e um prazo certo. Normalmente, as CPIs duram por 120 dias, podendo ser prorrogadas por até mais 60 dias.