CDL questionou estacionamento e tendas de churros

A presidente da CDL, Eliane Colla deu o tom final na solenidade de entrega do projeto de lei da Desburocratização pelo prefeito ao presidente da Câmara. Ao microfone, ela apelou ao prefeito pela urgência da implantação do estacionamento controlado na cidade antes da temporada e questionou os novos pontos de churros e milhos, taxando-os de paredões impeditivos da boa visibilidade da orla.

O prefeito, sobre o estacionamento, revelou que o processo licitatório formal está em andamento e é possível que não se conclua antes da temporada. Mas há uma alternativa provisória sendo estudada, com possibilidade de preencher a lacuna na temporada, evitando a esbórnia possível. 

Quanto aos pontos de churros e milhos, o prefeito e o secretário Edson Kratz reconheceram que a solução não foi a ideal, mas foi a possível para o momento. No início do projeto, as dimensões ficaram exageradas e foi exigida a redução dos tamanhos, um metro de cada lado. Ainda assim, ficou claro que a solução é provisória, pois não seria possível simplesmente eliminar ou deixar como antes.

Ficou claro, finalmente, que com a reurbanização da  orla, eles desaparecerão, tanto quanto os quiosques, implantando-se uma nova política de ocupação, quem sabe até com menos de tudo e com um novo formato.

Conversamos com o presidente do Sincomércio, Hélio Dagnoni, sobre a possibilidade de, na baixa temporada, os novos locais virarem dormitório e ponto de encontro de drogados e andarilhos. Resposta dele: "Já viraram, nas madrugadas".