Reforma eleitoral prevê censura à Internet

GLOBO

Reforma permite censura na internet sem ordem judicial

Candidatos poderão pedir remoção de conteúdo em sites e redes sociais.

Texto aprovado ainda inclui barreira para partidos nanicos, fundo público para financiar campanhas e fim do horário partidário em anos sem eleição.

Texto incluído de última hora na reforma política, e aprovado em votação-relâmpago no Senado, abriu caminho para a censura na internet nas eleições de 2018. A lei, que ainda vai à sanção do presidente Temer, permite que, sem ordem judicial, candidatos solicitem a remoção, em até 24 horas, de conteúdo que avaliem ter “discurso de ódio, disseminação de informações falsas ou ofensa”. Houve forte reação de entidades e especialistas. Também foram aprovados barreira contra partidos nanicos, fundo público de campanha e fim dos programas de rádio e TV dos partidos em anos não eleitorais.

Esquema de Nuzman pode ser maior

Preso sob suspeita de comprar votos para a Rio-2016, presidente do COB tinha 16 barras de ouro na Suíça.

O Ministério Público Federal suspeita que a compra de votos no COI para a escolha do Rio para sediar os Jogos de 2016 tenha envolvido outras fontes de pagamento de propina e delegados olímpicos, além dos já descobertos. Novas evidências apontam que o esquema que teria sido intermediado pelo presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, era financiado por pelo menos três empresas que mantinham contratos com o estado, e que a escolha do Rio pode ter sido conduzida em bloco. Ontem, a PF prendeu Nuzman e o diretor de Operações da Rio-2016, Leonardo Gryner.

Rio terá sala de cinema bíblico

Diante da proibição da Justiça de as salas de cinema da Galeria Condor serem transformadas em templo religioso, a Igreja Universal decidiu reabri-las, mas só exibirá filmes bíblicos.

Uma fortuna que não é recuperada

Só este ano, o INSS suspendeu o pagamento de 34.318 benefícios irregulares, que dariam prejuízo anual de R$ 1,3 bilhão, revela GERALDA DOCA. A maior parte dos pagamentos indevidos jamais será recuperada.

ESTADÃO

Corregedoria da PM apura fraudes de R$ 200 milhões

Investigação da Corregedoria da PM apura o suposto envolvimento de órgão da Secretaria da Segurança Pública de SP no desvio de R$ 200 milhões por meio de contratos fraudulentos no Comando- Geral da PM, informam Marcelo Godoy e Marco Antonio Carvalho. A Procuradoria-Geral de Justiça também analisa acusações feitas contra dois coronéis, apontados por envolvidos no caso.

FOLHA

Principal dirigente do esporte, Nuzman é preso

Presidente do Comitê Olímpico do Brasil é acusado de atuar ilegalmente por Rio-2016.

Principal dirigente esportivo do país, Carlos Arthur Nuzman, 75, foi preso temporariamente nesta quinta (5) após ordem judicial. O presidente do COB (Comitê Olímpico do Brasil) é acusado de atuar na compra de votos para que o Rio de Janeiro fosse eleitos e de dos Jogos Olímpicos de 2016. Nuzman presidiu o comitê organizador do evento. O juiz federal Marcelo Bretas determinou também a prisão temporária de Leonardo Gryner, diretor de operações da Rio-2016. O magistrado entendeu que eles poderiam interferir no curso das investigações da Unfair Play (jogo desleal). A operação apura suposto repasse de US$ 2 milhões a Lamine Diack, ex-membro do Comitê Olímpico Internacional, para ele angariar apoio ao Rio na votação. Segundo a Procuradoria, o dinheiro viria de propina paga por empresário ao ex-governador Sérgio Cabral. Nuzman teria feito a ponte. Relatório da Receita Federal mostra que o patrimônio do dirigente dobrou de 2013 a 2014, durante o ciclo olímpico dos Jogos no Rio. Para o advogado de Nuzman, a prisão temporária é “dura e não usual” e a acusação não tem fundamento. A defesa de Gryner não se pronunciou.

Índice mostra alta propensão no país ao autoritarismo

Os brasileiros têm alta propensão a apoiar teses autoritárias, e a situação da segurança pública do país reforça essa posição. A conclusão é de estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com base em pesquisa encomendada ao Datafolha. Em índice criado para aferir a tendência autoritária na sociedade, o Brasil atinge 8,1 na escala de 0 a 10.

Fazenda pode pedir veto a pontos de texto final do Refis

Após meses de arrastada negociação entre parlamentares e governo, o Refis, programa de parcelamento de dívidas com o fisco, foi aprovado no Senado ontem. O Ministério da Fazenda avalia recomendar o veto a alguns pontos que foram incluídos durante a votação no Congresso.

Plínio Fraga

Queimar dinheiro não é metáfora na bandalheira do Rio

Operadores do esquema de Sérgio Cabral usavam transportadora como “banco clandestino”, dizem delatores. Durante manutenção de porta de aço, um funcionário teria deixado o maçarico ligado, provocando incêndio que queimou R$ 100 milhões.