Cresce apoio à redução da idade penal

GLOBO

Rombo fiscal de 2017 fica R$ 30 bilhões abaixo do previsto

O rombo fiscal de 2017 ficou R$ 30 bilhões menor do que o previsto, revela MÍRIAM LEITÃO. Os dados serão divulgados no fim do mês, mas as primeiras contas mostram que a arrecadação forte de dezembro e a contenção de despesas pelo Tesouro permitiram um déficit menor que a meta de R$ 159 bilhões. Para 2018, contudo, os sinais são de um ano mais difícil. O reajuste do funcionalismo não será adiado porque os salários já foram pagos com o aumento, após a liminar do STF, e não poderão ser reduzidos. Há outras frustrações de receita, com medidas fiscais não aprovadas. Por isso o governo prevê bloquear R$ 20 bilhões no Orçamento de 2018.

ESTADÃO

Exportação cresce após 5 anos e saldo comercial bate recorde

As exportações brasileiras voltaram a crescer depois de cinco anos de queda, levando a balança comercial a registrar saldo positivo de US$ 67 bilhões no ano passado – melhor resultado da série histórica iniciada em 1989. O recorde anterior era de 2016 e somava US$ 47,6 bilhões. As importações tiveram a primeira alta após três anos consecutivos de retração. O resultado foi reforçado pelas vendas recordes de petróleo (em volume) e de automóveis (em valor). Novos acordos comerciais e câmbio favorável contribuíram para a exportação de 200 mil carros a mais em 2017. Com isso, os automóveis passaram da 9.ª para a 5.ª colocação no ranking de produtos exportados. Os principais itens vendidos para o exterior continuam sendo minério de ferro (em valor) e soja (em volume), mas em 2017 a conta petróleo – resultado entre o que é comprado e o que é vendido – teve saldo positivo pelo segundo ano consecutivo. Para Welber Barral, ex-secretário de Comércio Exterior, o resultado “sinaliza uma retomada econômica”. Para este ano, a expectativa é de saldo ainda positivo, mas em torno de US$ 50 bilhões. 

FOLHA

Cresce o apoio à idade penal de 16 por crime grave

Pesquisa Datafolha aponta que cresceu o endosso do brasileiro à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos em caso de crimes graves, como homicídios. Continua maciço (84%) o apoio à ideia de baixar a idade em que o indivíduo pode ser responsabilizado criminalmente. Mas nesse universo subiu de 26%, em 2015, para 36% a fatia dos que aceitam a medida apenas para delitos mais violentos. A opção pela redução seletiva está prevista em uma proposta de emenda à Constituição que está parada no Congresso Nacional desde março do ano passado. Tecnicamente, ela poderia ser votada neste ano, mas isso é bastante difícil, por tratar-se de período eleitoral. Mesmo com o apoio popular, os congressistas em geral evitam os temas polêmicos enquanto estão engajados em campanha. Há diferenças segundo o espectro ideológico do entrevistado. Concordam mais com a redução da maioridade eleitores dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (95%) e Geraldo Alckmin (91%), enquanto dão menos apoio (79%) os eleitores de Luiz Inácio Lula da Silva. Para o promotor da Infância e da Juventude Fabio Bueno, a conclusão da pesquisa “reflete a insegurança da população”. 

Desemprego vai permanecer alto, dizem analistas

As instituições que mais acertaram projeções econômicas no Boletim Focus, do BC, preveem estagnação do emprego em 2018, com taxa de desocupação ainda em dois dígitos ao fim do ano. A projeção vai de 10% a 12%, este o valor aferido até novembro. 

Bolsa brasileira bate recorde em dia de novas ações

A Bolsa brasileira começou 2018 batendo recorde, próxima dos 78 mil pontos. O dia foi de estreia de cinco novos papéis no Ibovespa, como os do Magazine Luiza. Ações da Embraer registraram alta de 3,15% com o interesse da Boeing por sua área militar.