Câmara de Camboriú: diárias e cursos frios

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal de Balneário Camboriú, na tarde desta quarta-feira (07), deflagrou operação que visa apurar o pagamento em legislaturas passadas de diárias para alguns servidores e vereadores da Câmara Municipal de Camboriú em razão da realização de cursos nas cidades de Curitiba, Brasília e Florianópolis que, na realidade, não eram ministrados. Trata-se de um desencadeamento da Operação Iceberg, deflagrada pela Divisão de Defraudações da DEIC no final de 2015 e que teve como alvo a Câmara Municipal de Tijucas.

De acordo com as investigações, 3 empresas sediadas em Curitiba celebravam contratos com órgãos legislativos para o fornecimento de cursos fictícios aos seus membros e servidores, os quais recebiam as diárias pelas participações sem terem assistido a qualquer aula.

A investigação é sobre a farra com dinheiro público em passagens aéreas, cursos suspeitos de serem frios, hospedagens em hotéis de luxo e falta de documentos para comprovar os gastos e critérios de escolha dos pacotes. Tudo entre 2007 e 2016.

Interessante: esses cursos jamais se realizam em municípios sem belas paisagens e muito turismo bom.