Impostômetro atinge R$ 300 bilhões

GLOBO

Só 15% dos juízes federais abrem mão do auxílio-moradia

No Rio, apenas 6 de 874 magistrados do TJ-RJ não recebem o benefício.
Levantamento feito pelo GLOBO no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revela que, de 2.203 juízes e desembargadores federais, apenas 331 não usufruíram o auxílio-moradia, de R$ 4.377, no pagamento de dezembro. O gasto total do Judiciário com o benefício nesse mês foi de R$ 8,2 milhões. A presidente do STF e do CNJ, ministra Cármen Lúcia, disse ontem que os brasileiros estão cansados da ineficiência, inclusive da do Judiciário. Para especialistas, o pagamento do benefício para quem tem imóvel na cidade em que trabalha pode ferir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) ou o princípio da isonomia entre os poderes. 

Coreias se unem na Olimpíada de Inverno

A felicidade dos atletas das Coreias do Sul e do Norte ao desfilarem juntos marcou a abertura da Olimpíada de Inverno, em Pyeong-chang. Eles empunharam a bandeira da Coreia unificada e levaram, lado a lado, a chama olímpica. O líder sul-coreano cumprimentou a irmã de Kim Jong-un e citou no discurso o "ardente desejo” de paz. 

ESTADÃO

Huck discute candidatura com políticos e economistas

O apresentador da TV Globo Luciano Huck voltou a cogitar sair candidato a presidente da República nas eleições de outubro. Após voltar das férias com a família, anteontem ele jantou com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ontem tomou café da manhã com o economista Paulo Guedes, fundador do banco Pactual. Segundo o Estado apurou, ambos o aconselharam a seguir adiante com o projeto. Em almoço nesta semana, no apartamento de FHC, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Paulo Hartung (MDB-ES) avaliaram, junto com o ex-presidente, que o centro político precisa de mais alternativas além das já colocadas, como a do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Huck também tem consultado Roberto Freire (PPS) e o ex-presidente do BC Armínio Fraga. O apresentador, segundo relatos de seus interlocutores, se mostrou dividido entre o que deseja a “pessoa física” e as obrigações da “pessoa jurídica”. 

Plenário do STF decidirá sobre prisão de Lula

O ministro Edson Fachin, do STF, negou pedido de liminar do ex-presidente Lula para evitar a prisão até que se esgotem os recursos no caso do triplex no Guarujá. Fachin encaminhou a decisão final do mérito do habeas corpus ao plenário da Corte. Com isso, os ministros poderão rediscutir a prisão após condenação em 2.ª instância. Lula alega no pedido que, embora o plenário do STF tenha decidido permitir a execução antecipada da pena, não a proclamou obrigatória. 

Reforma do setor elétrico dá vantagem a empresas

Projeto de lei sobre a reforma do setor elétrico dá acesso ao mercado livre de energia a empresas de menor porte, onde poderão negociar diretamente com geradoras e reduzir custos. Hoje, apenas grandes consumidores podem negociar sem a intermediação das distribuidoras. O texto ainda prevê maior rigor para subsídios. Nada muda para clientes residenciais. 

FOLHA

Fachin nega habeas corpus de Lula e caso vai ao plenário do STF

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, negou o pedido de habeas corpus feito pelo ex-presidente Lula e decidiu encaminhá-lo ao plenário da corte. A defesa do petista quer evitar eventual prisão após a condenação no caso do triplex de Guarujá (SP). A decisão de Fachin pode gerar a rediscussão pelo STF das prisões após condenação em segunda instância. Segundo Fachin, o colegiado adequado para analisar o caso ê o plenário do Supremo, e não a segunda turma —como a defesa de Lula havia pedido. Ele argumenta que os ministros precisam chegar a um consenso. O ministro afirma que o tribunal decidiu em caráter provisório sobre prisão após julgamento em segunda instância em 2016, ao analisar duas ações sob a relatoria do ministro Marco Aurélio. Para os advogados de Lula, um novo julgamento pode lhe ser favorável. Eles têm a expectativa de que Gilmar Mendes mude seu voto. Em 24 de janeiro, o petista foi condenado por lavagem de dinheiro e corrupção no Tribunal Regional Federal da 4a Região, corte de segunda instância. Caberá à presidente do STF, Cármen Lúcia, marcar o julgamento. Não há data para que isso ocorra. 

FHC encoraja Huck a se candidatar, mas faz ressalvas

Em encontro com Luciano Huck, o ex-presidente FHC encorajou o apresentador a se candidatar ao Planalto , mas elencou questões que ele terá de enfrentar caso entre na disputa. Uma delas ê que o meio político o verá como uma “candidatura da Globo”, o que poderia ser explorado negativamente pelos adversários. 

Estado nordestino tem disparada de homicídios no ano

Dez anos após lançar um programa, o Pacto pela Vida, com a meta de reduzir assassinatos, Pernambuco fechou 2017 com disparada nesse tipo de crime. Foram 5.427 homicídios, alta de 21% em relação a 2016. O governo Paulo Câmara (PSB) afirma que houve melhora em indicadores de violência na segunda metade do ano passado. 

Alta do gás pode antecipar reajuste do Bolsa Família

A disparada no preço do gás em 2017 levou o presidente Michel Temer a considerar a antecipação, para março, do reajuste do Bolsa Família. Inicialmente, o benefício social teria elevação só em julho. A possibilidade foi discutida em reunião com a equipe econômica. O programa deverá ter reajuste acima da inflação oficial, de 2,07% no ano passado. 

Punições devem refletir gravidade de cada crime

Para o Ministério Público Federal no PR, réu por crime de corrupção deve ser condenado a 30 anos de prisão: o parâmetro deve ser condenado a pena do homicídio “porque a corrupção de valores altos mata". Mas matar é mais grave que pagar ou receber propina. Nem figurativamente o desvio de recursos se compara ao assassinato. 

AGÊNCIA BRASIL

Impostômetro: R$ 300 bilhões

Até hoje (10), os brasileiros já terão pago R$ 300 bilhões em tributos somente neste ano. Segundo o Impostômetro, o valor foi atingido por volta das 9h10 deste sábado. No ano passado, essa soma foi alcançada dois dias depois, em 12 de fevereiro. O Impostômetro é um mecanismo criado pela associação em 2005 e que mede o total de impostos, taxas e contribuições que a população brasileira paga desde o início do ano. Segundo a Associação Comercial de São Paulo, criadora do mecanismo, com esse valor arrecadado seria possível, por exemplo, comprar mais de 438,8 mil apartamentos de três quartos.