...E o agressor ambiental era um latrocida

Nesta terça-feira (13), por volta das 16h, a guarnição da Guarda Municipal Ambiental realizava fiscalização preventiva às margens do rio Camboriú quando verificou no final da rua Dom Sebastião, no bairro Vila Real, uma supressão de vegetação de mangue - que constitui parte de uma Área de Preservação Permanente (APP). Havia dois homens no local, que admitiram ter cortado a vegetação nativa na última sexta-feira a pedido do proprietário do terreno.

Ao realizar a consulta de identidade no banco de dados nacional, um dos homens, T.P.S, de 54 anos, estava com mandado de prisão em aberto por latrocínio, condenado a 15 anos de prisão.

Em relação ao dano ambiental, segundo os guardas Leone e Churkin, possivelmente será instaurado um inquérito policial pelo cometimento de crime ambiental pelos autores de acordo com a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9605/98).

T.P.S foi encaminhado à Central de Plantão Policial para a realização dos procedimentos cabíveis.


Adendo à matéria (por nossa conta):

  • Precisamos saber quem é o dono do terreno, mandante do corte da vegetação.
  • Seria ótimo saber como essa gente contrata pessoas para exercer esse tipo de trabalho. É no "olhômetro"? Não se pede referência NENHUMA?