Lula reafirma que não desiste de candidatura

GLOBO

Facção de SP avança no Rio e é desafio à segurança

Relatório do serviço de inteligência que consta da base de dados do interventor, general Walter Souza Braga Netto, indica movimentação preocupante de quadrilhas em ação no Rio: o traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, preso em Rondônia, se aliou ao PCC, a maior facção criminosa de São Paulo, que passou a ter, pela primeira vez, presença territorial em favela no Rio. Um carregamento de fuzis e munição já teria sido enviado a comparsas de Nem. Para o promotor André Freitas, que atua na Vara de Execuções Penais, nova configuração do crime organizado pode aumentar a violência no estado. A Rocinha enfrenta guerra há seis meses.

Ex-deputado condenado por matar no trânsito

Nove anos depois de matar duas pessoas num acidente em que dirigia alcoolizado e a 170km/h, em Curitiba, o ex-deputado Carli Filho foi condenado ontem, por unanimidade, a nove anos e quatro meses de reclusão. Mas poderá recorrer em liberdade. O caso é símbolo na luta contra a impunidade no trânsito no Brasil.

ESTADÃO

Refis mais recente perdoa R$ 62 bi, quase o dobro do previsto

Deve chegar a R$ 62 bilhões o perdão concedido pelo governo federal no último parcelamento de débitos tributários, o Refis. O valor é quase o dobro dos R$ 35 bilhões esperados. O cálculo foi atualizado pela Receita Federal porque, com regras mais generosas, a versão final do programa acabou incentivando adesão maior do que a prevista. A primeira versão do Refis não incluía descontos em multas e juros. Após pressão de parlamentares – muitos deles com dívidas com o Fisco – para melhorar as condições da proposta, o governo acabou concedendo descontos de até 70% em multas e de até 90% em juros, de olho em futuro apoio à reforma da Previdência, que acabou engavetada. Os parcelamentos especiais permitem que empresas refinanciem dívidas com descontos sobre juros, multas e encargos e, em troca, o governo recebe uma parcela da dívida adiantada, mas abre mão do que poderia ganhar com juros e multas.

Prioridade da Lava Jato continua, diz Jungmann

O ministro da Segurança, Raul Jungmann, disse ontem que a Lava Jato e o combate à corrupção continuam sendo prioridade da Polícia Federal, mesmo com a transferência da corporação do Ministério da Justiça para sua pasta. Mais 20 delegados devem ser mandados para o setor de combate à corrupção, de acordo com o ministro. Jungmann disse ainda que a troca de Fernando Segovia por Rogério Galloro no comando da PF é o resultado de sua “relação pessoal” com este.

Desemprego sobe, mas vagas formais ficam estáveis

A dispensa de trabalhadores temporários do fim do ano elevou a taxa de desemprego para 12,2% no trimestre encerrado em janeiro, ante 11,8% no período anterior. Dados do IBGE apontam, porém, estabilidade no emprego formal.

FOLHA

Eu vou brigar até ganhar, diz Lula sobre candidatura

Com a Justiça prestes a decidir se ele será ou não preso em razão da condenação no processo do tríplex, o ex-presidente Lula diz, em entrevista a Mônica Bergamo, que é um homem muito tranquilo, que sabe que será absolvido. Ele rechaça, entretanto, abrir qualquer discussão sobre candidatura alternativa no PT. “Se eu fizer isso, minha filha, estou dando o fato como consumado”, afirma. “Eu vou brigar até ganhar.” Para o petista, ele está sendo transformado em vítima desnecessária ao ser ameaçado de ficar fora das eleições. “Eu quero saber o seguinte: eu, proibido de ser candidato, na rua fazendo campanha, como eles vão ficar?” Lula aposta em uma disputa novamente dominada por PT e PSDB em outubro. E aconselha o presidenciável Ciro Gomes (PDT) a não falar mal de seu partido. “Vamos ser francos: pela direita, ninguém será presidente sem o apoio dos tucanos. Pela esquerda, ninguém será presidente sem o PT.” Ele diz que não tem medo de nada e não sairá do país. “Tô achando que eu sou o cara que nasceu para viver 120 anos. Dizem que ele já nasceu, quem sabe seja eu?” Declara, porém, que as acusações causaram grande mal à sua família. “Eu tenho todos os meus filhos desempregados. E ninguém consegue arrumar emprego.” O petista falou ainda sobre as acusações contra Michel Temer (MDB) na delação da JBS e diz que houve tentativa do Grupo Globo, que revelou o caso, de golpe. “Àquele golpe tinha como pressuposto básico o Temer cair, o Rodrigo Maia [presidente da Câmara] assumir e o [Rodrigo] Janot ter terceiro mandato [na Procuradoria-Geral].”

Jungmann diz que vai discutir nomeações com o diretor da PF

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (PPS-PE), anunciou que pretende discutir a nomeação de cargos de chefia na Polícia Federal com o novo diretor- geral do órgão, Rogério Galloro. Quando a PF estava subordinada ao Ministério da Justiça a praxe era a própria corporação escolher os nomes, os quais o ministro referendava.

EUA dificultam a entrada do Brasil em clube dos ricos

Os EUA travaram o início do processo de análise do pedido do Brasil, feito há nove meses, para integrar a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Com a entrada no órgão, o país melhoraria sua imagem internacional. Mas os EUA votaram contra. Defendem que a OCDE mantenha-se como um clube dos ricos.

AGÊNCIA BRASIL

Regulamentado transporte por aplicativo

Após mais de três horas de debates, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta (28) o Projeto de Lei (PL) 5587/16, que regulamenta os serviços de transporte com aplicativos como Uber, Cabify e 99 POP. O PL segue para sanção do presidente Michel Temer. Na única alteração ao texto vindo do Senado, o plenário rejeitou por 283 votos a 29, a mudança que retirava dos municípios a competência de regulamentar os serviços de transporte por meio de aplicativos.
Os deputados mantiveram duas alterações ao texto feitas pelo Senado e, dessa forma, o texto final excluiu a necessidade de autorização prévia emitida pelo poder público municipal para o motorista de aplicativo nos municípios em que houver regulamentação. Além disso, também prevaleceu a mudança do Senado que retirou a obrigatoriedade de o motorista do aplicativo ser o proprietário, fiduciante ou arrendatário do veículo, assim como a de usar placa vermelha.
O relator da matéria, deputado Daniel Coelho (PSDB-PE), defendeu que os aplicativos são responsáveis pela renda de mais de 500 mil trabalhadores brasileiros e foi responsável, em 2017, pelo pagamento de R$ 1 bilhão em impostos. “Não cabe a esse plenário hoje tomar a decisão de proibir aplicativos”, disse.