Apreensão de armas e drogas bate recorde

Em 2017, foram recolhidos 33,5% mais armamentos de grosso calibre.

Principal destino de material apreendido nos limites do Brasil com outros países eram facções criminosas do Rio e de São Paulo.

Apesar de ainda ter uma vasta área desprotegida nos 17 mil quilômetros de fronteiras terrestres, o Brasil bateu, em 2017, recorde de prisões e apreensões de armas e drogas. Polícia Rodoviária Federal, Exército e Receita Federal apreenderam duas mil armas de grosso calibre, 33,5% mais que em 2016. Ao menos 9,2 toneladas de cocaína estavam em poder de criminosos. A maior parte do material iria para facções de Rio e São Paulo. Na Vila Kennedy, o tráfico voltou a instalar obstáculos, após o Exército derrubar barreiras.