O investimento prioritário na despoluição da orla

A despoluição dos cursos d'água e revigoramento da rede de esgoto, com atenção especial à capacidade de coleta, regularização do sistema e otimização do tratamento, levando à consequente balneabilidade plena da Praia Central, é assunto aceso no grupo Rio Marambaia, do whatsapp. As discussões ali circulam com bastante assiduidade, ora defendendo a eficácia da atual limpeza, ora afirmando que isto não resolve a poluição, pois os despejos continuam nas mesmas proporções de sempre. E isto é comprovado a cada noite, mormente nas madrugadas, com registros olfativos e fotográficos.

Esta tarefa nunca foi fácil e nem sempre enfrentada com a força e amplitude que merece ao longo do tempo, mas mesmo o esforço louvável da atual administração demonstra não existir o foco ideal, pela razão apontada acima: retirar resíduos do canal não resolve a questão essencial. Resumindo: vão executar a tarefa por anos a fio e ficará tudo na mesma. É preciso um planejamento mais realista e não apenas técnico, frio.

Por último, alguns comentários postados lá, inclusive de técnicos reconhecidos em oceanografia, dizem, por exemplo:

"Chegou o momento de sairmos as ruas e agregarmos apoio da população, fazendo movimentos de convencimento a nossa causa que é de todos quanto a poluição da praia. Passeatas/faixas /cartazes /imprensa etc. Até que haja comprometimento definitivo desses poderosos de área de construção. Se for o caso, até mesmo. desconstruindo a imagem de maravilha (Dubai ) do Brasil. Não adianta mais tanta retórica. Só essa retirada de material todos sabemos que não resultará na de poluição da praia. As outras medidas propostas são lentas e serão empurradas pelos responsáveis, como estamos cansados de ver."

Finalmente, a sugestão-provocação de um técnico da área:

"Porque não chamamos uma reunião com o Instituto +BC que é uma OSCIP e pelo que sei tem como integrantes as maiores construtoras de BC. Eles pagaram o novo Projeto de Engordamento da Praia por 600 mil reais, julgo que a despoluição seja mais importante do que o engordamento neste momento e de interesse das construtoras: eu sou morador de BC há 24 anos e por conhecer profundamente as condições ambientais da nossa praia por ser oceanógrafo, nunca tomei banho de mar em BC. Acho que está na hora desta administração fazer mais pelo município do que vídeos apresentando o que não tem licença para fazer."

Conclui outro:

"Confesso que tenho dificuldade de entender esta situação. A construção civil usa o mar como o grande motivo para investir em Balneário Camboriú e não tem nenhum movimento para que as placas de IMPRÓPRIO para banho passem a ser coisas do passado..."