Conservação de escolas precisa de mais ação

Prefeitura acaba de lançar licitação para reforma geral no Centro Educacional Municipal Ariribá, primeiro grande projeto do tipo no governo de Rubens Spernau, porque faltou manutenção e faltaram cuidados na sua conservação. Imagens anexas mostram muito bem e de forma indiscutível. A este ponto se chega quando nenhum dos setores responsáveis funcionou. Nem prefeitura (que tem um setor específico para isto na Secretaria de Obras), nem Secretaria da Educação, nem Secretaria de Compras, nem direção da escola, nem APP. Ou, se algo ou alguém tentou funcionar, deve ter esbarrado em burocracias ou teimosias danosas no meio do caminho. 

De qualquer forma, há um jeito disso: fazer manutenções preventivas periódicas em todos os setores - principalmente nas áreas de Saúde e Educação, onde há mais público envolvido e onde as sensibilidades e exigências de segurança e sanidade física são maiores. 

Pode-se compreender que isso vem de tempo. O próprio estado encontrado das instalações indica isso. Entretanto, tal fato não justifica só agora se adotarem providências. A um custo muito maior. E ainda porque houve pressões formidáveis a partir de um grupo instalado nas mídias sociais, envolvendo APP e pais.

Olhar as imagens anexas dá o indicativo do que se afirma aqui. Chega a ser ridículo imaginar-se como a situação chegou a tal ponto.