Transporte integrado entre as cidades

Em reunião do Conselho de Representantes do Foro de Itajaí, presentes o presidente da Comissão Especial de Transporte Público de Itajaí e o diretor do Fundo Municipal de Trânsito de Balneário Camboriú, discutiu-se a integração do transporte público entre as cidades.

Concluiu-se pela viabilidade do projeto e algumas alternativas foram consideradas. Dentre elas, a implantação de um novo terminal de integração ou a utilização do atual terminal do Bairro Fazenda de Itajaí.

Cogitou-se uma tarifa de R$ 4,00 para um trecho de locomoção entre o Terminal do Bairro Fazenda até a Praia do Estaleiro, em Balneário Camboriú.

Houve manifestações no sentido de avançar nas tratativas para a efetivação do sistema, uma vez que a situação do concessionário atual é precária. Uma nova reunião com as cidades ficou marcada para os próximos 45 dias, com a edição de um plano de ação participativo com a comunidade.

Algumas dificuldades foram apontadas para a integração, como o local da integração, o sistema de bilhetagem e por fim a necessária aprovação do DETER.

Sem dúvida esta discussão é oportuna, mas está atrasada. As carências de transporte integrado entre as cidades de Balneário Camboriú, Itajaí, Camboriú e, quem sabe, Itapema, se fazem urgentes de solução, sabendo-se da condição do aglomerado dessas cidades, interatuantes entre si nas atividades econômicas e sociais, com pessoas indo e vindo todos os dias para trabalhar e retornar às suas casas nos finais de dia. A conurbação entre elas é presente sob todos os pontos de vista.

E talvez se deva discutir não apenas o transporte coletivo integrado, mas também políticas comuns de saneamento, abastecimento de água e tratamento de lixo doméstico e hospitalar, sem contar o congraçamento cultural e turístico, que, ainda, está na base do cada um por si.