Beco do Brooklyn, a chaga urbana de Balneário Camboriú

Uma guarnição da Guarda Municipal que estava em patrulhamento preventivo, foi acionada por volta das 6h da manhã deste domingo (13), para atender um princípio de tumulto no Beco do Brooklyn (ligação com a Rua 1100), próximo a Avenida Central. 
Com o apoio de outra viatura da GM que estava próxima ao local do fato, foi constatado que houve homicídio de homem ainda não  identificado, por agressão e esfaqueamento. Os suspeitos foram localizados perto de um restaurante na Avenida Atlântica e conduzidos para a Central de Plantão de Polícia. A vítima levou dez facadas nas costas.
Ao todo 16 pessoas foram conduzidas, sendo três indiciados por crime de homicídio doloso (dois adolescentes e um maior de idade).  Também foi levada uma pessoa como testemunha e os outros 12 foram foram liberados na delegacia, pois foi comprovado que não tinham ligação com o crime, apenas estavam junto com os suspeitos de sua prática.

===

Esta tal Beco do Brooklyn é uma lástima urbana em pleno centrão da cidade. É um homízio de viciados e marginais na zona mais densamente povoada e policiada da cidade. Ali sucedem ocorrências graves, como a narrada neste boletim, resultando, inclusive, numa morte.

O Beco era área ocupada por moradores do Edifício Cosmos, cuja garagem tem entrada por ali. Ambas as entradas era barradas para acesso comum. Era um nicho de paz. Até que resolveram acionar na Justiça a sua desocupação de uso privado, por ser uma servidão, liberando-a para o ir e vir. Medida legal e burra. Aquilo de nada serve, nem para o direito de ir e vir, pois não economiza tempo e nem espaço. O Calçadão da Central está a dez metros de distância e ir da Atlântica à Brasil por ali é fato consagrado.

Agora virou cenário habitual de ocorrências policiais e núcleo de insegurança para todos. 

Já sugerimos que a municipalidade ocupe aquela área, controlando o seu acesso e transformando o local numa galeria de arte. Dá pra fazer, é só querer. Mas este pessoal só sabe conversar e achar que apenas os totens resolvem. Os totens, como se viu, só mostram a ocorrência, não evitam o crime.

(FOTO DIARINHO)