Propaganda oficial diz o que não é

Uma contradição clara entre a mídia oficial e a realidade: outdoors e peças publicitárias institucionais da Prefeitura de Balneário Camboriú, divulgam a frase: "Futuro é viver na cidade mais saneada do Brasil". Não é a cidade mais saneada do Brasil. Nem em SC. É a terceira, por enquanto. Podem dizer que o sentido da frase é pensando no futuro, mas nem isso é razoável. Primeiro, porque há outros municípios investindo bem e em melhor colocação. Segundo - e isto é o principal - porque saneamento (mais saneada) não está ligada apenas à cobertura de rede de esgoto, mas a tantos outros fatores importantes ou quesitos nos quais Balneário Camboriú não possui padrão de excelência e, convenhamos, está distante, como a coleta seletiva de lixo, degradação de seus mananciais, agressão à natureza, insuficiência de tratamento de esgoto na demanda de verão, escoamento adequado de águas pluviais e, segundo critérios oficiais, percentual de perda de água do sistema de tratamento, coisa em torno de 30%. 

E finalmente, os números anunciados são complementares aos trabalhos anteriores. Segundo o site da própria Emasa, foram 110 quilômetros de rede implantados desde 2005. Agora fazem 17 quilômetros de obras e 22 quilômetros de rede (sem entendermos o que é uma coisa e o que é outra, já que a propaganda fala especificamente em "saneamento"). Ou seja: os 110 quilômetros anteriores ficaram insignificantes no processo. Mais ou menos como os alunos aprovados em vestibulares que viram propagandas de cursinhos: os anos de frequência normal curricular parece que de nada valeram - mas a "eficiência" dos cursinhos de poucos meses passa a ser decisiva.

(Na propaganda diz que é, na veiculação oficial da notícia diz que "busca ser". Crise existencial?)