Demanda turística da região, os números à mostra

Pesquisa de Demanda Turística divulgada nesta semana aponta que 98% dos visitantes da alta temporada recomendam e pretendem retornar.

Realizada na temporada de Verão 2017/2018 pelos municípios, a pesquisa ainda apontou o perfil e os interesses dos turistas que passaram pela região.

Mais de três mil entrevistas foram aplicadas nas cidades de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas, Camboriú, Itajaí, Itapema, Navegantes, Penha e Porto Belo. O nível de confiança é de 95% e erro amostral é de cinco pontos percentuais.

Segundo o resultado do estudo, 50,3% dos visitantes vieram de outros estados do Brasil, pouco mais de 35% eram de Santa Catarina e 12,4% do Exterior. Dos estrangeiros, os argentinos foram maioria (83,1%). Com foco no número de noites na região, a maioria (45%) ficou de quatro a nove noites, seguido de quem permaneceu aqui por nove noites (32%) e aqueles que estiveram por quatro noites seguidas (23%).

Com relação ao tipo de hospedagem, 34,5% dos entrevistados ficaram na casa de parentes ou amigos, 23,5% alugaram um espaço, 18% ficaram na sua segunda residência e pouco mais de 21,9% escolheram os hotéis e pousadas. Dos turistas, a grande maioria (56%) obteve informações sobre o destino com auxílio de conhecidos, sendo que 74% dos entrevistados organizaram a viagem por conta própria. Além disso, quase 90% dos entrevistados estavam viajando de férias, 6% para visitar amigos e familiares e uma pequena parcela por outros motivos. A amostra ainda apontou que 25% dos entrevistados estavam pela primeira vez no destino e 64% passeavam com a família.

Sobre o transporte, a maioria (83%) utilizou veículo próprio, 5% contaram com apoio de ônibus de linha e o mesmo número veio de avião. “A pesquisa nos apontou que a grande maioria das pessoas utilizou as rodovias para chegar a nossa região, ou seja, é uma medida para buscarmos adequar cada vez mais este transporte aos nossos visitantes”,  explica a presidente do Colegiado de Secretários de Turismo da Amfri, Zene Drodowski.

Com relação ao perfil do turista, a amostra apontou que 48,3% são homens e 47,5% mulheres, sendo que 63,6% são casados. A pesquisa ainda apontou que, de acordo com o grau de escolaridade, 35% possuem superior completo. Já a renda familiar mensal da maioria dos entrevistados (40,1%) é de 4 a 10 salários mínimos.

Avaliação

A Pesquisa de Demanda Turística da Costa Verde & Mar mostrou a análise média das instalações. Com notas de 0 a 5, os visitantes destacaram a hospitalidade como um dos pontos mais positivos, com nota 4,41. Ainda avaliaram a conservação do entorno como 4,12; serviços de salva-vidas como 4,19; e a segurança como 4,06. Já para as atrações deram notas: 4,41 para os atrativos naturais; 4,24 para oferta de lazer e cultura; e 4,08 para opções de compras.  “Em todas estas áreas aumentamos a nota em comparação a avaliação realizada na pesquisa anterior, mas estes números nos mostram as áreas de maior agrado e os setores que ainda precisam melhorar. Com estes dados, estamos trabalhando em cima e alinhar estratégias para buscar sempre oferecer os melhores produtos e serviços”, acrescenta. Na nota final, os turistas classificaram a região com 4,49.

Pesquisa de Demanda Turística da Costa Verde & Mar – 2017/2018

Lugar de residência

No resto do país - 50,3%
Em SC - 37,3%
No Exterior - 12,4%

País de origem:

Argentina – 83,1%
Paraguai – 8,8%
Chile – 2,4%
Outros – 5,7%

Estado (visitantes do Brasil):

Santa Catarina - 43,9%
Paraná – 23,2%
Rio Grande do Sul - 15,6%
São Paulo – 9,2%
Outros – 8,1%

Gênero:

Homem – 48,3%
Mulher – 47,5%
Não respondeu – 4,2%

Faixa etária:

De 31 a 40 anos – 22,0%
De 41 a 50 anos – 21,9%
De 51 a 65 anos – 17,5%
De 26 a 30 anos – 16,7%
Outros – 21,9%

Estado civil:

Casado – 63,6%
Solteiro – 23,8%
União estável – 3,4%
Viúvo – 2,8%
Outros – 6,4%

Grau de escolaridade:

Superior completo - 35,0%
Médio completo – 29,8%
Superior incompleto – 13,7%
Outros – 21,5%

Renda familiar mensal:

De 4 a 10 salários mínimos – 40,1%
De 2 a 4 salários mínimos – 32,1%
De 10 a 20 salários mínimos – 9,9%
Outros – 17,9%

Número de noites na região:

Mais de 9 noites – 32%
De 4 a 9 noites – 45%
Até 4 noites – 23%

Tipo de hospedagem:

Com parentes ou amigos – 34,5%
Aluguel/apartamento turístico – 23,5%
Alojamento próprio/2ª residência – 18,0%
Hotel e Pousadas- 21,9%
Outros – 2,1%

Informações sobre o destino:

Dicas de amigos / parentes – 56%
Já conhecia – 29%
Internet – 12%
Outros – 3%

===

A pesquisa é sempre interessante para servir de amparo no tracejar de políticas adequadas de turismo. O que se precisa evitar é o chamado trade turístico, ou parte dele, sempre reclamar das deficiências do turismo ou de pouco resultado, ao final de cada temporada - e sempre fazem, é quase uma rotina, um costume arraigado desde sempre. Se esses números são reais, a frequência foi ótima e a repercussão também. Falta falar a realidade. Se está bom, dizer que está bom. Se não está bom, dizer que não está bom. Mas não pode brigar com números ou contrariá-los.