Centro de Eventos é parto complicado

Dá para perder a conta de quantas datas já foram anunciadas para a "inauguração" do Centro de Eventos. A obra, usada tantas vezes para proselitismo político-eleitoral e administrativo, acabou sendo, até aqui, a demonstração de pura ineficácia e incompetência dos gestores estaduais. Desde as encrencas iniciais para meramente começar a construção e depois, na sua execução ora lenta, ora normal, com idas e vindas, fluxos e refluxos, dinheiro vem e dinheiro não vem - aliando-se a surpreendentes falhas notadas apenas com a obra já estava com sua parte física praticamente acabada, como a falta de um plano de gestão e a licitação irrealizada de aberturas, ar condicionado, elevadores, divisórias, sonorização, acústica (ainda faltantes e sem prazo para realização).

Já tivemos, em relação ao Centro de Eventos tantas investidas de entidades, ministros, secretários de Estado, prefeitos, que parecia uma união de forças definitiva e garantidora. Nada. Ainda já muito e quase tudo do principal a fazer, pois a obra está oca, vazia. Sem o que falta nunca poderá pensar em ser ocupada e ativa.

A última investida foi do prefeito Fabrício Oliveira, preocupado com razão pela falta de perspectiva de ativação do Centro.

Diz notícia da prefeitura:

O Prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, propôs ao Governador, Carlos Moisés, que a Santur faça a gestão do Centro de Eventos, ou que componha uma situação jurídica permitindo viabilizar a gestão ou até mesmo que o trade turístico junto a Secretaria de Turismo do município façam a administração do Centro de Eventos de Balneário Camboriú até que o processo de concessão esteja concluído. O governo foi receptivo à sugestão.



A decisão foi tomada após ouvir, na sexta-feira (01) à tarde, em reunião com a presidente da Santur, Flavia Didomenico, que não há prazo para que o processo de concessão esteja finalizado.

O termo de referência não está pronto, ainda há estudos a serem realizados, o Tribunal de Contas têm que opinar sobre isso e pode ocorrer qualquer interrupção. Não podemos esperar mais um ano, dois, cinco anos”, afirmou o prefeito Fabrício Oliveira, explicando que a Santur já administra o Centro de Eventos de Canasvieiras e poderia fazer o mesmo em Balneário Camboriú até que se defina a empresa concessionária. (Comentário nosso: o prefeito não deve saber dos problemas enfrentados pelo Centro de Eventos de Canasvieiras, hoje sem um plano de gestão eficaz e por um bom período após sua inauguração praticamente abandonado, por falta de eventos a sediar. Se o mesmo sistema vier pra cá, estaremos no mato sem cachorro).

“Se o Estado não puder, não vejo problemas em a Prefeitura, junto com o trade, fazer a gestão”, reforçou o prefeito. 
O Centro de Eventos está com 96% das obras físicas concluídas e já foi “inaugurado” no final do ano passado por agentes do Governo do Estado e do Governo Federal. O prefeito Fabrício Oliveira não participou do ato por não concordar em entregar um equipamento sem estar efetivamente pronto. A prefeitura de Balneário Camboriú investiu R$ 25 milhões na obra.

O Governador Carlos Moisés se sensibilizou com o pedido, em meio aos demais prefeitos da Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí (Amfri), que estiveram na Casa Da Agronômica. O Centro de Eventos tornou-se uma pauta regionalizada, endossada por todos os prefeitos. (Nota nossa: os prefeitos regionais "endossam" demais num primeiro momento; depois, tiram o corpo fora. Vide Hospital Ruth Cardoso)

Moisés assegurou que, se houver viabilidade jurídica, vai dar andamento ao processo com uma administração “temporária” para que a maior unidade de eventos do Sul do país comece a operar. (Escrevam: se for adotada a tal administração "temporária", vira definitiva e adeus, tia Chica).
A principal demanda da região é que o Governo garanta a abertura do agendamento de eventos. "Nossa expectativa é que a gestão do espaço tenha aderência ao calendário do município e seja sensível à situação econômica local e regional. Há dezenas de eventos que querem vir para Balneário. Vou dar o exemplo do Encontro Nacional de Contabilidade, que proporcionará um acréscimo na economia da cidade de mais de R$ 30 milhões. Não podemos mais nos dar ao luxo de não contar com Centro de Eventos que vai fazer uma diferença enorme na nossa economia”, explicou Fabrício Oliveira.

Cronograma

A Secretaria de Turismo apresentou um cronograma de trabalho que prevê a realização de uma nova reunião no dia 4 de abril, com o objetivo de avançar na elaboração do termo de referência e minuta do edital, documentos para estabelecer o melhor modelo de concessão.

Após isso a Prefeitura de Balneário e representantes do trade de turismo da cidade precisarão apresentar suas sugestões para que o pacote de documentos seja concluído ainda na primeira quinzena de abril. Nesse ritmo, estimam as lideranças de Balneário e região, é provável que o empreendimento permaneça fechado mais um ano.

Obras de acabamento

O Centro de Eventos está em fase de acabamento, com 96% das obras já concluídas. A Secretária de Turismo informou que, na próxima semana será feita a abertura dos envelopes das empresas habilitadas para a instalação das divisórias móveis. O valor dessa licitação, feita na modalidade concorrência, está em torno de R$ 3 milhões. Em seguida, será feita a instalação do piso e forro e, após isso, será aberta a licitação do sistema de climatização e dos elevadores.

===

COMENTÁRIO OTIMISTA: ESQUEÇAM DO CENTRO DE EVENTOS FUNCIONANDO EM 2019, A DEPENDER DO ESTADO.
COMENTÁRIO PESSIMISTA: PONHAM AS MÃOS PRO CÉU SE FUNCIONAR EM 2020, A DEPENDER DO ESTADO.