Mais segurança apenas, não: melhor também

Assinado acordo de cooperação técnica para integração das forças de segurança de Balneário Camboriú. Juntos na ação o Governo Municipal, via Secretaria de Segurança, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias e o Conselho de Segurança (CONSEG).

Apresentadas 16 metas a serem implementadas em curto, médio e longo prazo visando unificar as forças de segurança no âmbito municipal.

O prefeito Fabrício Oliveira defendeu que o convênio assinado é despido de vaidade institucional, mas vestido com a camisa da cidade. "A nossa união pode transformar Balneário Camboriú na cidade mais segura do Brasil. Hoje, unimos os investimentos em segurança, experiência e credibilidade de cada instituição aqui representada para avançarmos no combate à criminalidade e melhorar nossos índices de Segurança Pública”, pontuou o prefeito.

“A ideia foi pensar a Segurança Pública de forma coletiva. Com reuniões mensais, iremos organizar, planejar e executar estratégias para prevenção ao crime, unindo as forças de segurança do município. Para que esse grupo fosse algo mais plausível, desenvolvemos metas de curto, médio e longo prazo”, disse o secretário de Segurança, David Queiroz.

O comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar, Alexandre Coelho Vieira, explicou: “Com essas ações, conseguiremos otimizar as viaturas, efetivos e o gerenciamento das ocorrências na cidade”, pontuou.

Conheça as metas

METAS DE CURTO PRAZO

1- Desenvolvimento de cursos de capacitação e aperfeiçoamento integrado

2- Calendário de Operações Conjuntas

3- Desenvolver atividades educativas nas escolas e entidades públicas

4- Extensão para a Polícia Militar do poder de fiscalizar a existência de alvarás em bares e restaurantes.

5- Extensão para a Polícia Militar do poder de fiscalizar áreas de invasões irregulares

METAS DE MÉDIO PRAZO

São consideradas metas de médio prazo aquelas cujo prazo para o início da execução seja de aproximadamente seis meses.

6 - Gerenciamento compartilhado do sistema de câmeras de segurança existentes na cidade

7- Integração dos sistemas de recebimento e despacho de ocorrências recebidas pelos telefones 153 e 190.

Inicialmente, não haverá uma central em espaço físico único, mas sim o compartilhamento, em tempo real, das ocorrências geradas a partir dos telefones 153 e 190. Essa medida visa evitar que uma viatura da GM e uma da PM se desloquem para o mesmo endereço, desperdiçando tempo e gerando desgaste. Além disso, há a possibilidade de saber em tempo real onde as viaturas de ambas as instituições se encontram. A medida ainda possibilitará a “distribuição” da cidade em setores, para que o patrulhamento entre GM e PM seja realizado de forma mais eficaz e cobrindo maior área de extensão, pois evitará sobreposição de viaturas em um mesmo setor.

8- Criação do Protocolo de Atendimento de Ocorrências

9 - Compartilhamento de tecnologia para o desenvolvimento de sistema de câmeras

10 - Criação do “Gabinete de Resposta às Situações de Crise na Segurança Pública”

A ocorrência de um crime grave, o aumento do número de homicídios, o iminente desmoronamento em áreas de risco, enchente ou qualquer outro evento que ocorra e dependa de resposta imediata será tratado em conjunto por meio do referido Gabinete. O mapeamento dos pontos de alagamento e o desenvolvimento de protocolo de ações em caso de alagamento visa possibilitar intervenção imediata, com bloqueio de vias, mudança de acesso, sentido de vias etc. Com isso, haverá maior segurança para os motoristas, além de propiciar o fluxo de veículos e menor desgaste social.

11- Criação do “Protocolo de Atendimento de Emergências Marítimas”

O fluxo de transatlânticos na cidade exige atenção para possíveis desastres. Dessa forma, o Protocolo preverá:
a) plano de contingência para Emergência Marítimas; 
b) cursos de capacitação de atendimento em caso de emergências marítimas;
c) integração com a Marinha do Brasil;
d) realização de simulado de mesa de emergência marítima;
e) realização de simulado de campo de emergência marítima.

METAS DE LONGO PRAZO

São consideradas metas de longo prazo aquelas cujo período para o início da execução supere o tempo de seis meses, contados da assinatura do presente termo.

12- Integração dos sistemas de ocorrência da Polícia Militar e Guarda Municipal: 
Atualmente cada instituição realiza registro das chamadas e ocorrências que recebe em sistemas distintos, impossibilitando a real visão do número de crimes na cidade, o que torna o atendimento e a resposta menos eficientes. Com a utilização de um único sistema, haverá a maior integração e eficiência no desenvolvimento das respostas ao crime.

13- Realização de boletim de ocorrência de acidente de trânsito, sem vítima, pelos Agentes de Trânsito

14- Criação de central única de atendimento de ocorrência. Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Municipal ocuparão o mesmo espaço físico, no que se refere ao recebimento de ocorrência.

15- Criação do “Fundo Municipal de Segurança Pública”
16- Tornar Balneário Camboriú a cidade mais segura do Sul do País

===

Faltava isso. Na verdade, só é possível porque no comando das instituições estão, agora, pessoas com discernimento e condições de convivência política e profissional sem conflitos e personalismos (não é o caso de todas as instituições envolvidas, bom dizer). O cérebro substitui os músculos. A diplomacia e a eficiência institucional substituem a intempestividade e a ruptura da estrutura em nome da filosofia da porrada, que só causou desavenças e desalinhos.