CDL e OAB pressionam por estacionamento rotativo antes da temporada

A prefeitura de Balneário Camboriú pretende lançar até julho o quarto edital de licitação para reimplantar o estacionamento rotativo nas ruas do município. Representantes da diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas de Balneário Camboriú (CDL-BC) e da subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) estiveram reunidos na terça-feira, 21, com o prefeito em exercício, Carlos Humberto Metzner Silva, para exigir uma solução para o estacionamento rotativo do município antes da chegada da temporada de verão.

A nova proposta para a implantação do sistema na cidade será mais simples que a licitação anterior e não prevê a instalação de parquímetros. O sistema, segundo o vice-prefeito explicou à CDL, terá pontos fixos de venda e um aplicativo que vem com a ideia de comodidade e praticidade aos motoristas. A expectativa é de que, se não houver atraso, o novo sistema esteja funcionando até outubro.

De acordo com a presidente da CDL, Eliane Colla, a falta de estacionamento rotativo está inviabilizando o comércio de rua em Balneário Camboriú. Ela citou o exemplo de empresas que fecharam as portas por conta da falta de vagas no centro da cidade. A advogada Janete Nola Canei, representante da OAB na reunião, também destacou a importância do estacionamento rotativo nas ruas de Balneário Camboriú. A advogada e Sirlei Rigon, representante da Carmen Confecções, também cobraram da administração uma maior presença no combate à mendicância.

Conforme Carlos Humberto, a administração está empenhada em encontrar uma solução para o problema do estacionamento rotativo. “Nós também temos as mesmas dores dos comerciantes”, ponderou. 

===

É interessante, se lembrarmos que lá atrás, muitos comerciantes condenaram o estacionamento rotativo justamente por "prejudicar o comércio". E, também, comerciantes do Calçadão da Central já defenderam a sua reabertura, sob o mesmo argumento, numa visão estrábica de uma realidade urbanística. Nossa opinião: se não simplificarem e muito o edital de licitação, fura de novo. Aliás, em nenhuma outra cidade do Estado, quiçá do Brasil, implantar estacionamento rotativo e mantê-lo funcionando de forma perene é tão complicado como em Balneário Camboriú. Alguma razão deve haver para isso. É impossível um edital igual pra todos causar tantos embaraços legais.