Camboriú decide pela autonomia em sistema de água e esgoto a partir de 21

Camboriú terá um sistema próprio de coleta e tratamento de esgoto e um sistema independente de tratamento e distribuição de água. Em audiência pública na prefeitura de Camboriú, moradores decidiram pela construção dos dois sistemas e a continuidade dos serviços da concessionária Águas de Camboriú no município. 

A audiência, dia 30, contou com uma apresentação de quatro cenários solicitados pela prefeitura para a concessionária Águas de Camboriú para a gestão do sistema sanitário local. O cenário aprovado é o que prevê a implantação da Estação de Tratamento de Água (ETA) e a incorporação dos investimentos no sistema de esgoto a partir de 2021, logo após a assinatura de um termo aditivo assinado entre a prefeitura e a concessionária. Para a implantação do projeto é necessário a assinatura desse termo aditivo contratual, de forma a incluir as obras de esgoto considerando-as responsabilidade da concessionária. A proposta contempla a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), implantação de 280 quilômetros de rede, construção de 30 elevatórias, melhoria dos indicadores de saúde e despoluição do Rio Camboriú e a construção da ETA.

Segundo o presidente da Águas de Camboriú, Carlos Roma Júnior, a decisão da comunidade na audiência pública é um passo importante para destravar a questão do saneamento básico no município. “Vamos ter a própria estação de tratamento de água e implantar o sistema de coleta e tratamento de esgoto com o apoio da cidade”, diz.

Roma lembra que, para a execução das obras, há a necessidade de fazer a repactuação de contrato e obter a aprovação da agência reguladora. “A proposta apresentada pela concessionária  é o conjunto mais econômico de soluções para o saneamento de Camboriú”, acrescenta Roma.