Pesquisa aponta grande apoio dos pais pelo retorno às aulas presenciais

Pesquisa feita pela Secretaria Municipal da Educação ouviu os pais e responsáveis pelos alunos sobre o retorno às aulas presenciais em Balneário Camboriú. O levantamento foi feito através do Google formulário e enviado em diversas plataformas digitais para alcançar o máximo de pais.

Segundo a pesquisa, 92% dos pais com filhos matriculados na Educação Infantil (zero a cinco anos) são a favor do retorno presencial. Destes, apenas 5% são do grupo de risco. Para os pais com filhos matriculados no Ensino Fundamental (seis a 14 anos) 78% responderam que querem o retorno das aulas presenciais, destes, somente 10% são do grupo de risco. Porém, este valor não representa toda comunidade, pois apenas 40,8% dos pais responderam.

O retorno às aulas na rede municipal da educação está previsto para o dia 18 de fevereiro, no formato híbrido, ou seja, escalonando entre remoto (em casa) e presencial, com regras sanitárias, presença reduzida e revezamento dos alunos.

Pais e responsáveis que não responderam a pesquisa devem comparecer a unidade escolar para assinar o Termo de Responsabilidade das Atividades Presenciais, conforme estabelecido na Portaria 983, de 15 de dezembro de 2020, da Secretaria de Saúde e Educação do Estado de Santa Catarina.

As escolas estarão abertas para atendimento ao público para retirada de dúvidas nesta sexta-feira (12). Visitas devem ser agendadas pelo telefone das Unidades Escolares para evitar aglomeração.

Pesquisa para os profissionais da educação A pesquisa da Secretaria da Educação também foi aplicada para profissionais da educação do ensino municipal. Mais de 920 profissionais da Educação Infantil responderam ao questionário, destes, 92% não são do grupo de risco. Os professores também votaram que a maior preocupação no retorno as aulas presenciais é o cumprimento dos protocolos sanitários (78%) e acolhimento da comunidade escolar (75%).

Já os mais de 500 servidores do Ensino Fundamental responderam que 89% não são do grupo de risco. Destes, 78% consideram a saúde física e emocional como ótimo/bom.

(Assessoria de Comunicação da PMBC)