Abordagem Social diminui o fluxo de pessoas em situação de rua em Balneário Camboriú

Levantamentos da Abordagem Social, da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, apontam que, em dezembro do ano passado, havia 260 pessoas em situação de rua em Balneário Camboriú e que atualmente, houve uma diminuição de cerca de 40% do fluxo de pessoas em vulnerabilidade social no município, chegando em 160 pessoas.

Esta redução se dá pelo trabalho de acolhimento realizado pela Abordagem Social em todos os pontos da cidade, 24 horas por dia. Desde início de 2021, a Abordagem já realizou mais de 700 atendimentos. "Se não fosse o trabalho duro da Inclusão Social, acreditamos que o número de moradores de rua em Balneário Camboriú poderia chegar em mais de mil", compartilha Roberto Pereira Faria, diretor-geral da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social.

Para atender a demanda, a Prefeitura ampliou as ações, investindo no serviço de assistência a essas pessoas, em conjunto com a Operação Choque de Ordem, com a Polícia Militar e Guarda Municipal. "Primeiro nós fazemos acolhimentos, com duas vans e quatro motos. Em seguida, encaminhamos essa pessoa em situação de rua, muitas vezes fragilizada física e emocionalmente, para a Casa de Passagem, onde ela receberá banho, roupa e alimento. Depois de se recuperarem, conduzimos para a assistência social", explica Roberto.

A assistência social pode encaminhar a pessoa acolhida para três vertentes: Sistema Municipal de Emprego (SIME), retorno para casa de origem com vínculo familiar ou internação em clínicas conveniadas com a Casa de Passagem.

Sua esmola mantém ele na rua
Além da pandemia, a esmola é um dos principais fatores que contribui para o crescimento da população em situação de rua em Balneário Camboriú. Segundo a secretária de Inclusão Social, Christina Barichello, “um morador de rua ganha de R$ 100,00 a R$ 250,00 apenas sentado nas esquinas pedindo esmolas”.

A Secretária alerta sobre a campanha "Sua esmola, mantém ele na rua", da Prefeitura Municipal. "A melhor forma de ajudar alguém em vulnerabilidade é encaminhar para o serviço de assistência, através do telefone 156."

Os moradores podem solicitar abrigo na Casa de Passagem, localizada na BR-101, km 130 – Bairro Várzea do Ranchinho, ou na Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social. Para entrar em contato com o plantão do Resgate Social o número é (47) 98839 - 7075 ou pela central no 156.