Minha Casa, Minha Vida, chamariz de bandidos

Conforme mostram matérias realizadas em muitos municípios onde foram construídos conjuntos habitacionais do "Minha Casa, Minha Vida" - Criciúma e Joinville principalmente - reina uma confusão trágica: os ocupantes são acossados por bandidos, traficantes na maioria, que invadem as residências, ameaçam os moradores, os expulsam e tomam conta. Segundo depoimentos, os trabalhadores saem de casa para seus empregos sem a certeza de encontrar sua casa intacta e sua família sossegada. Há casos, até, se apartamentos incendiados pelos marginais em represália por tentativas de "ajustes". Já houve mortes, inclusive, por suspeita dos bandidos de que pessoas chamaram a polícia. O quadro é este.

O pior quadro está em Criciúma (LEIA AQUI).

Chamar a polícia pode ser até pior, porque ela não poderá monitorar permanentemente o local e os bandidos retornam com mais fúria e ímpeto assassino. E isto torna a situação imponderável.

Retrato claro de um país perdido. E ainda querem descriminalizar o uso de drogas. A propósito disso e para completar o raciocínio: Discriminalização do porte drogas para uso próprio. Continuará a venda tipificada penalmente e caracterizada como tráfico? Compra liberada, venda proibida. É contraditório. Pois é livre consumir, mas tem que ter alguém que venda, e como prender e denunciar por tráfico alguém que vende um produto que está liberado pra consumo? (Luiz Alberto Cavalcanti Filho, promotor de Justiça).

Não há dúvida: o Brasil precisa, com urgência, parar com tudo e debater logo um rigor maior nas leis penais, a atualização do nosso sistema carcerário e acabar com esse impunidade imunda que reina hoje no país. Ou isso não terá fim e a tendência é piorar até que, lá na frente, nós estejamos nas ruas e os bandidos ocupando as nossas casas. Quem duvida é louco.