A corrupção que os outros também fazem

Na Assembleia Legislativa, o deputado Maurício Eskudlark repercutiu o faturamento de Lula com palestras milionárias (28 milhões de reais em quatro anos), um milagre econômico que nem os ex-presidentes americanos conseguem. Imediatamente, deputados petistas reagiram, segundo nota do site da Alesc:

Dirceu Dresch rebateu as acusações e afirmou que FHC também é chamado para fazer palestras. “Estas questões serão esclarecidas”, garantiu o representante de Saudades. Luciane Carminatti (PT) concordou com o colega de partido e lembrou que a corrupção também ocorre na esfera privada.

Para os petistas tudo se resume nisso: o FHC (sempre ele) também faz. E a corrupção também existe na esfera privada. E acham que isso explica tudo. Como se o Brasil inteiro fosse amante do FHC e baseiam suas críticas ou opiniões no que o ex-presidente tucano fez ou deixou de fazer. É muita pobreza intelectual e política, com minhas sinceras desculpas.

Ligando um fato a outro, amigo meu, petista que quatro costados, dilmista e lulista de primeira hora, me veio com uma conversa fiada de "caminhar todos num mesmo sentido em nome do Brasil". Sei. A gente indo na mesma direção, pagando impostos e eles embolsando o resultado dos impostos. Sei. E arrematou, num comentário final: "Aceitem que dói menos". Eu lhe disse que sim, aceitem que dói menos. Os governistas, não nós. Quando vêm eles com esse papo travesso de "todos pelo bem do Brasil" eu já enfio as munhecas. Coisa mais abusada. Querem que, sendo oposição ao governo, se fique batendo palminhas pras falcatruas e barbaridades. Pois sim. Esperem sentados.

Agora, estão na bola da vez, mirando todas as armas para o Eduardo Cunha. Como se isso corrigisse as barbaridades demandadas pelos governistas. Pelo contrário, é só mais uma das tantas de todos os lados. Enquanto isso, o Brasil vai indo ladeira abaixo, sem uma visão clara do final do túnel.