Brasil: a tendência é piorar

Todo esta confusão gerada a partir do pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula resulta de uma falta de senso dos promotores paulistas. A prova disso é que não conseguiram apoio dos mais notórias companheiros eventuais, como o próprio Sérgio Moro, a Polícia Federal e todos os tucanos de alta plumagem. Além de muitos juristas de todos os calibres.

Como povo comum que somos, podemos dizer que foi uma bobagem. Primeiro, porque locupletou um fato já investigado pela Justiça Federal. Foram por demais espetaculosos. Políticos nem tanto, como forçaram os petistas, mas midiáticos, sim.

Isto é muito ruim para um quadro já conturbado e cheio de alternativas piores. O ex-presidente, ao que tudo indica, está enfiado até o pescoço em situações pouco saudáveis, digamos assim. Seu comportamento, além disso, não colabora muito - agressivo, arrogante, pedante e raivoso. Acha-se o dono do mundo, ainda. Humildade zero.

Isto talvez seja o que colabora para ele continuar a ser um alvo predileto. 

Do lado contrário, sair xingando e aflorando fogaréus verbais contra Globo, oposição, Justiça, Ministério Público, como fazem petistas, também não resolve. 

De qualquer maneira, uma das principais verdades existentes é que o país está apodrecido na sua política e na sua administração. Dilma está com o seu governo desacreditado, em pandarecos. Fosse ela razoável, sairia. Mas razoabilidade nela é coisa muito rara. 

E então vamos indo por aí, aguardando as desgraças aumentarem e vermos no que vai dar, no fim dessa fritada. Nada está tão ruim que não possa piorar. Sim, porque, sem dúvida, a tendência, a permanecer nessa batida, é piorar. E muito. Fujam para as montanhas.