Eleição é caixinha de surpresas ?

Normalmente os eleitores insistem em renovar, seja lá o que isso signifique - se renovar estilo e forma ou renovar pessoas e grupos. Ou ambos.

Nesta eleição, dentre os nomes citados, se centrar em renovação, somente dois jamais foram candidatos ou sequer foram cogitados para candidatos na cidade: Jade Martins Ribeiro e Carlos Humberto Metzner Silva. Traquejo político ambos possuem - Jade por ter nascido dentro do governo atual e ali mantido uma relação sempre muito próxima e atuante e Carlos Humberto porque, embora sendo filho de um político calejado, não tem nenhuma passagem por eleições, como candidato, mas é um profissional respeitado de engenharia. Jade é advogada eficiente e gestora por excelência, tantas foram as atribuições bem cumpridas em vários e diversificados setores na atual administração.

Então, se o eleitor quer novidade, tá aí. 

Na relação restante, há nomes sem nenhuma chance e nomes que, embora bem entrosados na política, dificilmente encontrarão respaldo, por inapetência de seus próprios partidos e uma estrutura reduzida. Enfrentar uma eleição do porte da de Balneário Camboriú é uma tarefa pesada. Eles devem saber disso melhor que nós, só continuam porque, no final, querem é espaço de negociação para, quem sabe, uma vaga de vice e uma boa corrida para a Câmara. Onde, aliás, a renovação é o desejo permanente do eleitorado (nem sempre cumprido, é verdade, mas é). Uma pena em alguns casos, pois há vereadores de boa atuação que mereceriam continuar. 

Em todo caso, como no futebol, ensina o vulgo popular, eleição é uma " caixinha de surpresas". Com fundo musical.