Não há onde e como estacionar na cidade

Sem lugar para estacionar, Balneário Camboriú clama por regulação do rotativo ou Área Azul. Quem sabe com modificações substanciais em relação à forma até aqui aplicada.

Como sugestão, criar áreas brancas, onde o estacionamento é permitido por algum tempo, sem cobrança. Criar vários valores, dependendo da região - tipo (linguajar da juventude atual) quanto mais londe, mais barato e, via de consequência, quanto mais central, mais caro. E talvez quanto mais longe, o mesmo valor com tempo maior de permissão. E, claro, já começar com os parquímetros, associados a monitores e a possibilidade de se cobrar digitalmente, pra pegar todos os tipos de motoristas - os mais evoluídos tecnologicamente e os mais simplórios. 

O que não dá é pra cidade ficar sem um controle do estacionamento nas áreas mais movimentadas. E outra coisa: não fazer cobrança em ruas onde mais de 70% (ou outro percentual qualquer, a estudar-se) seja de residências unicelulares.

Pode-se, ainda, dispensar a cobrança nos finais de semana em todo o sistema, a partir das tardes de sábado e também nos feriados. 

Porque hoje, do jeito que está, virou um tormento encontrar uma vaga para estacionar. Nem os espaços de cadeirantes ou idosos escapa - e, como inexiste uma fiscalização eficiente, vale tudo. E quem reclamar é capaz de sofrer retaliação física dos abusados.