Melhores e piores serviços públicos

A Federação do Comércio de SC (Fecomércio) pesquisou a qualidade dos serviços públicos nas sete principais cidades do Estado (Florianópolis, Chapecó, Criciúma, Joinville, Blumenau, Lages e Itajaí). O resultado mostrou como a população entende a prestação dos serviços com vistas às demandas sociais.

Nos seus dados, um alerta aos futuros gestores das cidades: a mobilidade e a segurança são os pontos nevrálgicos. Foram as piores notas. Neste quesito, as piores notas couberam a Florianópolis e Criciúma.

A pesquisa indagava sobre nove pontos: saúde, educação, preservação ambiental, segurança pública, mobilidade urbana, água e esgoto, limpeza urbana, habitação e cultura e lazer, com notas de zero a cinco.

A mais bem posicionada na média dos quesitos foi Chapecó, com números altos em regulamentação ou promoção do serviço público, mais segurança pública (3,33) e habitação (3,52). No outro lado está Florianópolis, nas seis piores posições: educação, preservação ambiental, mobilidade urbana, água e esgoto, limpeza e habitação.

A limpeza urbana foi o item melhor avaliado em todo o Estado. A nota mais alta neste caso foi de Itajaí (3,85) e a mais baixa a de Florianópolis (3,01). Na cultura e lazer, a nota mais alta é de Blumenau (3,41).

Piores e melhores da pesquisa:

Saúde – Chapecó a melhor e Criciúma a pior.
Educação – Chapecó a melhor e Florianópolis a pior.
Preservação ambiental – Itajaí a melhor e Florianópolis a pior.
Segurança pública – Chapecó a melhor e Criciúma a pior.
Mobilidade – Lages a melhor e Florianópolis a pior.
Água e esgoto – Itajaí a melhor e Florianópolis a pior.
Limpeza urbana – Itajaí a melhor e Florianópolis a pior.
Habitação – Chapecó a melhor e Florianópolis a pior.
Cultura e lazer – Blumenau a melhor e Joinville a pior.