Ataque aos abusos no Calçadão da Central (Aleluia!)

Boletim policial:

Na noite desta quinta-feira, 12 de janeiro, em uma operação integrada entre Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal, secretarias da Prefeitura e Conselho Tutelar, vários bares, restaurantes e similares foram fiscalizados no Calçadão da Avenida Central de Balneário Camboriú, visando fiscalizar e reprimir o comércio ilegal de bebidas alcoólicas, consumo de drogas, venda e consumo de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos, além de coibir as ocorrências de perturbação do sossego.

A operação vem atender a várias denúncias recebidas através do 190, bem como feitas pela associação de moradores do Calçadão da Avenida Central.

Da operação resultaram 01 Termo Circunstanciado por posse de maconha, 02 homens presos em flagrante por vender bebida alcoólica para duas adolescentes e conduzidos à Delegacia de Polícia Civil e vários estabelecimentos comerciais foram autuados por ocupação irregular do espaço público.

===

Buenas, vamos a observações:

a) esta situação vem de há muito, mas nunca deram bola alguma, deixaram correr e por isso chegou onde chegou e está como está;

b) a blitz valeu pela necessidade e pela oportunidade, mas fica a dúvida inevitável de sua continuidade e periodicidade, porque aqui é assim: as coisas não se repetem e nem viram hábito quando atingem interesses de alguém entranhado no poder ou com o poder;

c) esta blitz precisa acontecer nas demais ocupações irregulares, inclusive da areia, embora se reconheça que a do Calçadão da Central era a mais urgente e chata;

d) antecipando algumas reclamações do modo como a coisa foi feita (porque vão reclamar, sim, dizendo-se agredidos, vilipendiados, garroteados, abusados pela "truculência"), já vamos respondendo: se manquem e deixem de ser abusados - as autoridades precisam fazer cumprir a lei e favorecer a maioria, não aqueles que dão lucros a alguém específico.