Trump começa metendo pressão total; nada de 100 dias

Quem assistiu à cerimônia de posse do presidente Trump na tarde desta sexta-feira pôde constatar o espetáculo de organização e democracia mais simbólico do mundo. Na posse e na área do Capitólio, tudo cercado. Cercado mesmo. Nas ruas, protestos desvairados eram enfrentados na porretada pela polícia. Sem mimimi. O Obama, já ex-presidente, foi levado em helicóptero do governo para o seu descanso. Sem mimimi de despesas, etc.. Os congressistas ofereceram um almoço ao novo presidente. Todos presentes, inclusive Bernie Sanders e Hillary Clinton. Sem mimimi e fantasias histéricas de despesas e abusos. E não era misto quente o cardápio. 
Na posse, como convidados especiais, além de Bernie, Hillary, Bill Clinton, também Bush e Jimmy Carter. Sem mimimi e teorias fantásticas. Nada de embates. Tudo na diplomacia e na ordem. E no respeito. Companheiros e adversários convivendo harmonicamente. Tudo em nome da Nação. E nós aqui, dando milho aos pombos e nos achando o centro do Universo.
(Minha postagem no Facebook)

 



Postagem da Agência Brasil:
 



Novo site da Casa Branca elimina seções sobre clima, direitos civis e LGBT

Mal o novo presidente americano, Donald Trump, tomou posse, e a Casa Branca já atualizou o seu site com algumas novidades polêmicas. A seção dedicada às mudanças climáticas, bandeira defendida pelo ex-presidente Barack Obama, por exemplo, foi apagada da página oficial, assim como qualquer menção ao aquecimento global. Também não há mais seções no site sobre direitos civis e público LGBT. As informações são da Agência Ansa.

A nova política deve-se ao fato que o novo ocupante da Casa Branca e boa parte do Partido Republicano minimizam os efeitos causados pelas alterações no clima e a necessidade de se investir na chamada "economia verde". Por outro lado, a página oficial traz algumas das medidas que o magnata promete adotar como novo presidente dos Estados Unidos.

Entre as iniciativas anunciadas, está a construção de um "escudo espacial" para proteger o país de possíveis "mísseis" lançados por nações como Irã e Coreia do Norte. O Irã inclusive assinou um acordo nuclear com as principais potências do planeta, incluindo os EUA, no qual limita suas atividades atômicas. Acordo esse que Trump prometeu rever.

Além disso, a Casa Branca listou mudanças importantes na política econômica, como a saída dos EUA do Acordo de Associação Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), formado por 12 nações que reúnem 40% do Produto Interno Bruto (PIB) global.

Trump também pretende renegociar o Nafta, tratado de livre comércio com Canadá e México. "Se os parceiros se negarem, o presidente insistirá em sua intenção de deixar o pacto", diz a Casa Branca. O objetivo do republicano é criar 25 milhões de postos de trabalho na próxima década e alcançar um crescimento econômico de 4% ao ano.

Outra promessa apresentada pelo site oficial do governo é a de "derrotar o terrorismo islâmico", classificada como uma "prioridade" da nova administração. "Trabalharemos com os parceiros internacionais para cortar fundos de grupos terroristas e nos empenharemos em uma guerra cibernética para desestabilizar a propaganda", ressalta a Casa Branca.
O site já conta com o nome e a foto de Trump, além do slogan de sua histórica campanha: "Vamos fazer a América grande de novo".