E já estamos em 2018

Não são poucas as jogadas antevendo o cenário de 2018.

Lá em cima, na Capital do Estado, os nomes se articulam visando governo do Estado. E se multiplicam: Mauro Mariani (PMDB), Gelson Merísio (PSD), Udo Döhler (PMDB), Napoleão Bernardes e Paulo Bauer (PSDB), além de nomes de partidos menores, normalmente lançados para marcar posição, embora as chances sejam mínimas. 

Cá em baixo, os municípios e regiões suscitam seus nomes. No Litoral Norte, ensaia candidatura o ex-prefeito Edson Piriquito, provavelmente à Assembleia, mas não se sabe bem se é isso mesmo. Luzia Coppi Mathias, de Camboriú, pode querer chegar, considerando o direito e, por certo, a vontade de Leonel Pavan ir à reeleição. O vice-prefeito Carlos Humberto, de Balneário Camboriú, está trabalhando nesse sentido também. Quem mais? As apostas estão abertas. Do mesmo modo que para o governo do Estado, muitos nomes poderão surgir, a maioria sem chances, só pra marcar posição e acender a legenda partidária. 

Quem quiser candidatura de força terá que sair da redoma e ir à rua agora. Criar uma estrutura desde já. Permanecer na crista de forma positiva. Criar uma agenda de contatos permanentes. Em suma, montar o time. Afinal o tempo passa rápido e estamos a 20 meses da eleição. Chega na frente quem estiver melhor preparado.