Menos EGOpessoas e mais ECOpessoas nas cidades

Compartilhei uma matéria sobre a cidade espanhola de Barcelona, onde adotaram medidas práticas para despoluir e retirar veículos das ruas. A matéria trata da criação de "superilhas", colocando áreas de lazer total onde antes só circulavam veículos.

Pedi a participação de pessoas que considero especialistas e idealistas neste sentido - Kelli Cristina Dacol, Auri Pavoni, Gil Koeddermann e Edson Kratz. E então, citada, chegou Deise Soares, arquiteta e urbanista, defensora do VLT e de outras formas humanas de mudar Balneário Camboriú.

A opinião que ela emitiu, respondendo à citação de seu nome pela Kelli, foi fantástica (ipsis litteris):

Kelli Dacol amada! aí está a grande importância de entender qual é a Função Social da Cidade e da Propriedade, e ainda que a Legislação não permita uma comparação, vale dizer que Barcelona estabeleceu um plano diretor estratégico criando 150 praças, revitalização da área industrial que estava abandonada, e instalou novo mobiliário urbano para as ruas....

Quem projetou? Arquitetos de todo mundo foram convidados a participar (aí defendo concursos de arquitetura para a Cidade) 🏢⛪️🌇🌆🌄🏰.

Precisamos compreender no sentido mais semântico que a cidade é o “habitat da humanidade” precisamos URGENTE de mais ECOpessoas do que EGOpessoas.

Testemunhei um representante do povo defender criação de estacionamentos...😰😰😰😰😰num momento em que a destruição do ecossistema ameaça a sobrevivência da própria humanidade; peguei uma folha A4 que tinha na minha pasta e fiz um cone 🐴....ia dar de presente pra ele mas pensei melhor e guardei a folha...a sala tinha quatro cantos e de costas em um dos cantos ia combinar bem com aquele discurso...

As pessoas veem a Cidade como um cenário de automóveis, edifícios, poluição, medo, ganância, disputa por espaço, consumo e busca por lucro e mais lucro...Como seria bom se as pessoas vissem a Cidade por seus espaços públicos, suas praças🌴🌴🌴, chafarizes, sua comunidade👭👬👫, coletividade e cooperativismo...Na maioria das Cidades, e aqui não é diferente, os problemas sempre estão associados a baixa qualidade do ar, falta de água, redução das áreas permeáveis (prejudica o ciclo hidrológico) poluição sonora e visual, lixo e segregação social.

De fato a cidade só cumpre sua função social se disponibilizar espaço para moradia, trabalho, lazer e mobilidade - pilares das funções urbanísticas - a saúde, educação e segurança, pilares das funções de cidadania e, por fim, os pilares da gestão, o planejamento, a sustentabilidade urbana, a prestação do serviço e a zeladoria do nosso patrimônio histórico e cultural...

A cidade só cumpre sua função se o conjunto de funções forem executadas. Então?!

A Gentrificação "aqui"é prova de que as funções estão longe de andarem sincronizadas... Enfim...é uma discussão tão abrangente mas que é parte do sistema de uma simples intervenção...Barcelona criou marcos, disponibilizou espaço com programas habitacionais até pra quem viria trabalhar na espreitada dos jogos...diferente do Rio de Janeiro, onde os "ricos" e empreendedores achavam que toda aquela população que construiu a Cidade iria desaparecer quando a construção acabasse...

A cidade é um negócio por excelência...tudo que está ligado ao solo vira um negócio...quanto mais coletiva a consciência mais urbanidade teremos!

Barcelona tem um dos melhores planos de mobilidade do mundo🚈🚈🚈🚈🚈🚈, mas para isso foi necessário expulsar as concessionárias....🚙🚙🚙🚙🚙🚙🚙🚙🚙 

Aqui há riqueza, as cidades já estão conurbadas, o espaço é plano...e eu continuo sonhando com o plano de mobilidade tronco-alimentador (não aguento mais ver pessoas disputando 40cm na Praiana, sem ar condicionado e na fila do carro) sonhando com plano paisagístico, criação de cenários de valorização da paisagem natural, implantação de densa arborização, abolição da fiação elétrica aérea, boulevares, abertura da parte inferior da BR 101, integração do traçado etc...etc...etc...fico até amanhã sonhando.