Fechar o PA da Barra?

Grassando conversa sobre fechamento do PA da Barra. Seria loucura plena, geral e irrestrita, mas o papo fluiu nas mídias sociais, a ponto de a administração municipal apressar-se em desmentido oficial. Quem sabe tudo tenha surgido da retirada do atendimento pediátrico da unidade, preferindo o prefeito manter dois médicos clínicos gerais no serviço. Ficou ruim, porque clínico geral acaba encaminhando casos pediátricos para especialistas e a gente sabe como isso (não) funciona. Se fosse para clínico geral atender criança, não precisava a especialidade. E como a gente sabe as demoras, as filas nas portas de emergências e hospitais, a população pressiona. 

Apesar dos desmentidos oficiais, o vereador Leonardo Piruka repercutiu o assunto na Câmara. O tema é preocupante. O PA da Barra é um serviço de belos resultados. Digamos assim, o que funciona de verdade, a alternativa mais confiável do sistema municipal de saúde nos casos de urgência e emergência já que, a rigor, não temos um Pronto Socorro adequado e verdadeiro, com tudo o que é preciso. O do Ruth Cardoso, embora funcione na medida do possível, até porque não há outra saída, não é estruturado devidamente para os atendimentos.

E pra que mexer no que está funcionando?

Fofoca ou não, surgiu a fumaça. E o prenúncio, na dúvida, provoca mobilização preventiva. Então, se houve cogitação, bom mudar a rota. Desmentidos são formalidades de momento e dizem pouco quanto à realidade eventual. Todos conhecemos essa batida.