A tramoia política nacional só beneficia os bandidos do poder

Poucos acharão, em sã consciência, que tudo está acontecendo na política nacional pelo bem do Brasil. O nosso país está uma balbúrdia, onde prevalecem bandidos em todos os cantos, cada um tentando tirar a sua casquinha, ter o seu quinhão de poder e conquistar sua riqueza material. São bandidos da pior espécie.

Agora se vê, ante a armadilha em que caiu o presidente Temer, tido e havido como um homem preparado, receber, em sua casa, tarde da noite, um cidadão sem agenda pré-fixada, sem assunto determinado, apenas para uma conversa informal. Uma emboscada mal feita em que o presidente caiu de maneira incompreensivelmente ingênua. Aquele tipo de papo furado da gravação é coisa para banzo, pra palerma cair. Por isso a imagem de homem preparado de Temer parece falsa. Não poderia sequer ter recebido o cidadão sem alguém acompanhando a conversa. Sem uma audiência marcada. A não ser - e aí a estranheza maior - que tivessem intimidade suficiente para isso. E tudo indica que tinham. Este detalhe é o que enrosca mais o presidente.

Entretanto, os fatos ao redor e os supervenientes indicam um caminho que parece claro: há uma tramoia política armada. Com participação de opositores e do próprio PT. É só acompanhar os movimentos do partido e seus líderes logo após o episódio, inclusive em cadeia nacional de televisão, na propaganda partidária. O objetivo é criar clima para uma eleição direta agora. Pequeno probleminha: é inconstitucional. Tem que passar por uma alteração da lei através do Congresso. Não vai passar.

E então, cassado Temer ou ante sua renúncia, o Brasil entrará num funil já conhecido doutras épocas: eleição indireta. Com um Congresso corrupto e inabilitado, podemos imaginar o que virá. E independe, neste caso, a quem caberá ser o escolhido: não chegará inteiro ao final do mandato-tampão. Os urubus vão querer a carniça inteira. Ou alguém imagina que, feito isso, os corruptos vão sossegar, colocar a mochila nas costas e ir pra casa quietos e conformados, satisfeitos por terem salvo o Brasil?

Dá pena do país. E vontade de sumir, ir embora pra nunca mais voltar. Essa luta inglória cansa.