Falta solidariedade dos tucanos à ex-prefeita Luzia

Reações diferentes em relação à prisão, pelo GAECO, da ex-prefeita Luzia Lourdes Coppi Mathias (PSDB) e à prisão de outros envolvidos na Operação Terra Prometida. A primeira delas do vereador licenciado e secretário de Planejamento, Claudinei Loos:

Quero enaltecer hoje muitos ex-vereadores, vereadores atuais, pessoas anônimas, que por muitos anos, desde 2005, brigávamos por uma cidade melhor. Muitas vezes confundidos por suas declarações, muitas vezes perseguidos, muitas vezes com sono perdido, muitas vezes com suas famílias agredidas, mas sempre demonstraram que amam Camboriú. Que defendiam e defendem nosso povo e nossa gente. Que com coragem defendiam e defendem nossa cidade, tão sofrida, nossa cidade tão saqueada, nossa cidade que sangra com a corrupção desenfreada. Agradeço aos ex-vereadores Imenesio de Souza, Silvano Garcia, Marli Terezinha Schmitt Garcia, Arnaldo Camargo Moraes, Zezé Wolff, Lucien Aguiar, atuais vereadores Jane Steffen, Angelo, Caninha, Josué, que nunca fugiram das ameaças vindas de gente que queria se beneficiar do dinheiro público. Hoje estamos vendo de camarote nossa cidade amargando uma vergonha nacional e também vimos que aqui se faz aqui se paga. Quem deve tem que pagar.

Do outro lado, os exemplos de fidelidade que hipoteca confiança na inocência da ex-prefeita, como de Carla Krug, uma escudeira de todo o tempo das gestões da ex-prefeita:

Um amor inexplicável! Acredito nesta amiga! E tudo há de resolver na forma da lei! Se houve erros que sejam apontados e julgados, mas creio na inocência antes mesmo que se esgotem quaisquer possibilidades de defesa! Assim, vejamos bem ao criticar, pois cada um sabe de si! Com respeito, acredito em você, Luzia Coppi! Uma irmã, amiga, mãe, filha! A verdade há de prevalecer! E o futuro a Deus pertence!

Verdadeiramente, note-se:

Falta solidariedade dos tucanos à ex-prefeita. Nenhum deles, com exceção da Carla Krug, disse nada sobre o episódio. Nem contra, nem a favor. Isso demonstra partidarismo do pau oco ou outra coisa: há o receio de que tudo seja verdade ou pelo menos há dúvidas razoáveis sobre isso. Então, preferem não arriscar. De qualquer forma, é ruim. Talvez estejam preferindo esperar – e então se manifestar após uma definição da denúncia. Isso se chama covardia e oportunismo.

Há coisas a serem explicadas, em realidade: como se pula de patrimônio zero em 2008 para R$ 85 milhões em 2014, caso da ex-prefeita. Ou como se pula de zero em 2008 para R$ 5 milhões seis anos depois, como o caso do ex-vereador Xande. Exceto se possuam dinheiro  macho e fêmea, que dão cria abundante, só um belo premio de loteria ou uma genialidade incomum para negócios.

De qualquer maneira, bom mesmo é esperar. Não será a primeira e nem a derradeira vez que acusações e denúncias são formuladas pelo Ministério Público e, lá na frente, tudo resulta em absolutamente nada ao encarar a decisão judicial. Felizmente ou infelizmente, é assim que tem funcionado, no mais das vezes. Basta conferir casos passados.