Prefeito ainda não cumpriu reforma e mudanças funcionais

Mesmo antes da eleição, quando em entrevista conosco, Fabrício de Oliveira afirmou ser sua vontade, como primeira iniciativa na prefeitura, proceder a uma reforma administrativa. E logo no limiar da gestão, alardeou um levantamento qualificatório para conhecer as potencialidades de servidores efetivos e, assim, poder usá-los em cargos comissionados, ao invés de levar gente “de fora”. Não cumpriu nada disso até agora.

Sequer eliminou as funções comissionadas da limpeza urbana da Emasa, ainda existentes e ocupadas, apesar de a limpeza estar com a Ambiental. São oito coordenadores e até gerentes.

Dentre os 250 comissionados da prefeitura, apenas 72 são servidores efetivos e 178 são cargos ocupados por indicados de partidos da coligação apoiadora ou, apenas, por preferência pessoal ou política do próprio prefeito e seus secretários. Isto não é pecado e é prática recorrente em todos os mandatos, coisa difícil de mudar - mas, enfim, o prefeito se comprometeu a mudar, implantando uma "nova ideia". Não fez

As informações estão no Portal da Transparência, com dados de junho/2017 (AQUI).