Piruka: nem perto

Convenção do PP de SC foi eclética. Mais eclética impossível: reuniu desde o PSD, passando pelo PSB, indo ao PSDB e até no PT, ante a presença de Décio Lima. Nenhuma mistura político-partidária seria mais esquisita do que esta.

O nome do vereador Leonardo Piruka, de Balneário Camboriú, candidato com força de disputa (segundo ele mesmo), nem encostou e nem fez cócegas no poderio de confabulações e acordos por trás dos bastidores de Amin e Silvio Dreveck, os nomes mais fortes em disputa à presidência estadual do partido.

Ao final, para reforçar e demonstrar esta força deliberaram ambos a portas fechadas que dividiriam a presidência do partido: Amin até fevereiro de 2018 e daí em diante, Sílvio assume.

Deu a lógica. Essa pedra foi cantada antes por nós para o próprio vereador Piruka, em seu gabinete, ao afirmarmos que chegaria em terceiro. Nem chegou, aliás. Apenas foi olimpicamente ignorado, deixado de lado como possibilidade. Tudo se acertou dentro de quatro paredes, como de hábito. Nada de “PP jovem” a Piruka e apoio de uma ala que, no fundo, nunca prevaleceu na legenda. Nem aqui e nem em Brasília. É uma pena, pois joga a renovação nas linhas do esquecimento e desmente uma filosofia do próprio partido (todos os partidos fazem o mesmo), permitindo o bolor dos tempos na falta de renovação.

A impressão é que Piruka criou um factóide dele mesmo: não aparece nas fotos principais do encontro e nem sua assinatura está no documento de acordo assinado, como mostra a imagem anexa. Tem uma imaginação fértil e criadora.

Abaixo, trecho da notícia veiculada na imprensa, para confirmar os fatos:

O pepista citou Merisio e Amin como possíveis candidatos a governador e também o ex-deputado federal Paulo Bornhausen, que representou o PSB no encontro. A convenção pepista foi prestigiada por lideranças de outros partidos. O deputado federal Décio Lima, presidente estadual do PT, discursou no início do encontro. Marcos Vieira, presidente estadual do PSDB, e o senador Dalírio Beber (PSDB) integraram a mesa, assim como o deputado federal Jorginho Mello (PR) e o deputado estadual Jean Kuhlmann.  

Uma imensa salada russa.