Dário Berger: constituinte exclusiva é única saída

Senador Dário Berger, convidado pela Câmara Municipal de Balneário Camboriú, fez palestra na sede da CDL da cidade sobre Terras de Marinha e a realidade política e econômica do Brasil, na qualidade de presidente da Comissão Mista do Orçamento.

Segundo Berger, a realidade brasileira só tende a piorar, se as decisões continuarem nas mãos dos atuais congressistas. Para ele, não há muito interesse dos atuais parlamentares em mudar alguma coisa, principalmente em relação à reforma política.

O senador mostrou-se desiludido com o quadro e disse ser um defensor de uma Constituinte exclusiva em 2018, junto com a eleição de presidente, governador, senadores e deputados. Essa Constituinte adotaria as mudanças necessárias e seria dissolvida logo depois.

Dário disse que essa solução é a única viável para mudar o quadro atual, que ele considera de sérias dificuldades para a Nação.

Sobre Terras de Marinha, o senador é autor de lei que paralisou tudo o que se relaciona com o assunto, porque o governo, através da SPU (Secretaria de Patrimônio da União), pretendeu mudar as regras, alterando os limites das áreas, aumentando-as. De tal modo que, no caso de Balneário Camboriú, a primeira quadra da praia ficaria totalmente tomada e praias como Barra Velha, Itapema e Balneário Piçarras seriam, inteiras, áreas de marinha, com os ônus tributários inerentes. “O governo só pensa em arrecadação, não importando qual seja a consequência humana, social e econômica”, disse Dário.