Não é só o Rio Marambaia, é tudo...

Ante as preocupações - verdadeiras e fortes - sobre o estado lastimável do Rio Marambaia, coisa de muito tempo e sem soluções efetivas, só romantismos, falatórios inúteis, atitudes cosméticas, ações midiáticas de efeito zero, há que se ir mais longe: a poluição ou a demanda agressiva contra a natureza aqui no Balneário Camboriú de todos nós está em praticamente todos os lugares, não só ali. Ali é o mais visível e o mais persistente pelos observadores leigos.

Bom ler todo o documento preparado pela Forania da Igreja Católica da região, a propósito da Campanha da Fraternidade, com o tema de proteção dos biomas. 

O documento está nas mãos de muitas autoridades, entregue pela Forania. Duvido que algumas delas sequer leu ou prestou atenção no que está dito. São 504 páginas e convalildado por 5.924 assinaturas. 

Lá, elencam, como medidas necessárias ou agressões em andamento ou existentes, as seguintes:

1. Recuperação imediata da mata ciliar às margens do Rio Camboriú, em sua total extensão;

2. Preservação dos manguezais, considerados legalmente áreas APP, proibindo qualquer tipo de retirada e/ou construção.

3. Depósito e reciclagem do lixo em local adequado;

4. Proibição e fiscalização rigorosa dos descartes à beira de estradas, nas matas, nas calçadas, às margens de rios e nascentes, de qualquer tipo de móveis e eletrodomésticos.

5. Fiscalização pelo Poder Público das saídas dos esgotos domésticos, sua destinação adequada e constatação de existência das necessárias fossas filtro;

6. Exigência, pelo Poder Público dos Municípios de Camboriú e de Balneário Camboriú, do fiel cumprimento de todos os requisitos e da infraestrutura, respectivas regularizações dos loteamentos existentes, inclusive de loteamentos, eventualmente irregulares nas áreas rurais;

7. Reforçar a proposta do desmatamento zero, inclusive nos manguezais;

8. Exigência de implantação das políticas de saneamento básico em toda área urbanizada e rural deste bioma nos Municípios de Camboriú e Balneário Camboriú-SC;

9. Despoluição do Rio Camboriú e seus afluentes.

O diácono  José Domingos dos Santos Neto fez essas afirmações, ao falar em nome da Forania, na solenidade realizada em Camboriú, na manhã do dia 6 de outubro. E sentenciou, de forma especial, no seu pronunciamento: O Rio Peroba, que margeia os dois municípios, um dos afluentes do Rio Camboriú, está morto, é uma vala onde escorre tudo, menos água.

Estranho: a repercussão do ato foi nula, apesar da sua importância extrema. Ao ato, apesar de convidados expressamente, não foram vereadores de Camboriú e Balneário, exceto o presidente do Legislativo de BC, vereador Roberto Souza Júnior, que já indicou à prefeitura, pelas suas secretarias e órgãos responsáveis, informações a respeito do que colocou o diácono. Também lá não esteve o secretário do Meio Ambiente de Balneário e nem o prefeito Fabrício ou qualquer representante seu. Demonstração de desprezo pelo tema tão grave.

Então é o que se diz aqui: não é apenas o Rio Marambaia, é o todo. o Marambaia é só a ponta do icerberg. Resolver o Marambaia e não mexer no todo com vontade, adianta pouco para o conjunto de azares que nos atinge na qualidade do meio ambiente.

(LEIA MAIS NOUTRA MATÉRIA DESTE SITE A RESPEITO DO ASSUNTO, CLICANDO AQUI)