Os equívocos da falsa emergência e o vitimismo do governo

O vitimismo da administração municipal chega a ser engraçado. A leitura da nota oficial da secretaria de Turismo é um exemplo acabado disso. Trecho sintomático da nota:

Em virtude de algumas publicações equivocadas, veiculadas em mídias internacionais, a Secretaria de Turismo de Balneário Camboriú/SC, Brasil, vem por meio desta nota esclarecer que o município não enfrenta nenhum tipo de dificuldade para receber os turistas vindos de todo Brasil e dos países do Mercosul.

Antes disso, porém, o governo municipal anunciou a decretação de Estado de Emergência. Esta condição se dá em situações extremas de degradação do ambiente de uma cidade por intempéries. Claro que isso repercute negativamente lá fora e em qualquer lugar. A contradição entre a nota da secretaria de Turismo e o anúncio da decretação de Estado de Emergência está no comportamento do governo, perdido em seus próprios meandros. Uma falha memorável de assessoria e uma ausência completa de visão estratégica. Nem a realidade palpável lhes serve. A ânsia de mostrar serviço de aspectos positivos se confundiu com a ânsia de mostrar atividade social, com liberação de Fundo de Garantia para "atingidos", após reconhecerem que nada houve de mais grave na cidade. 

Parece muito lógico que quem receba uma informação de decretação de emergência fique atento às consequências disso. E não será de otimismo e boas expectativas. Tiro no pé. E não é o primeiro e nem será o último.