Fiação subterrânea da Brasil é promessa requentada de anos e anos

Governador vem dia 30, terça, inaugurar a requalificação da Estação da Celesc e aproveita para assinar um "protocolo de intenções" para cabeamento subterrâneo de energia elétrica em trecho da Avenida Brasil (LEIA MATÉRIA AQUI). E isto virou uma festa, como se fosse uma conquista inédita. Em primeiro lugar, esquisito assinar "protocolo de intenções". Isto garante alguma coisa? Ah, a novela é antiga. Vamos lá. 

Desde 2008 esta história se repete num entra e sai irritante.

Já assinaram convênio, já colocaram o dinheiro no orçamento, já garantiram a obra para 2012 (levaria um ano para completar) e nada. Afora isso, em 2011, tão logo assumiu, a primeira ação de Colombo foi retirar a verba que estava no orçamento para o dito cabeamento subterrâneo, deixada por Pavan, então governador em exercício. Por que não deu andamento, apenas, ao que já estava sacramentado? Como acreditar que agora, com protocolo e tudo, o fará? Bem, em ano eleitoral, até pode. Mas é bom confiar, desconfiando.

Este tempo inteiro andaram feito baratas tontas no terreiro. Agora vem esta de "protocolo de intenções". Os precedentes de crédito (ou descrédito) são terríveis, como se pode ver lendo esta matéria a respeito (AQUI) e esta outra (AQUI). Finalmente, depois de tudo aquilo e num determinado momento, expressamos nossa opinião em matéria especial (AQUI). A matéria continua atual.

A repetição desses episódios lembra muito o filme "Lagoa Azul" exibido pela Globo vez por outra como se fosse um grande sucesso inédito e esperado.

Melhor aguçar a capacidade de ouvir silêncios e ler nas entrelinhas.