Mudanças de rumos indicam fracasso de metas

As mudanças no secretariado de Fabrício Oliveira fazem pensar: os escolhidos, principalmente alguns, eram considerados, desde o início, como o suprassumo do ideal. Gente da primeira fila da eleição, até de gabarito técnico interessante, como Edson Kratz.

De repente, passado tanto tempo, concluiu-se que o ideal não era tão ideal assim. As substituições demonstram, com meridiana clareza, que as projeções falharam. Ou se vive dentro do governo uma tentativa de ajustar para cumprir direito as tarefas administrativas ou então há uma ingerência excessiva de interesses políticos, coisa que Fabrício declarou, enfaticamente, que não sobreviriam e não prevaleceriam.

Há outros pontos. Um deles é possível rememorar na mera divulgação da equipe inicial, quando, inclusive, consideravam-se metas, depois descumpridas ou ainda não cumpridas, apesar de 16 meses passados, conforme matérias da época – num dos casos, há promessa de resolver o estacionamento rotativo, o que se aguarda até hoje. E também a eleição direta para diretores de escolas, instituída por lei e aguardando.  (AQUI) e (AQUI).

Para um diagnóstico preliminar disso, bom conferir o que se disse na posse: 

1) - "Segundo o prefeito eleito, já na cerimônia de posse ele vai divulgar os projetos para seus primeiros 100 dias de governo, que estão sendo definidos por uma comissão especial."

2) - "Zona azul

Perguntado sobre a zona azul, ele disse que vai estudar a melhor saída, inclusive avaliando ferramentas tecnológicas, no entanto é quase impossível que isso aconteça ainda nesta temporada (2016/2017) pelos trâmites legais."

3) - "Currículos

Sobre a peculiar solicitação de currículos de servidores efetivos, Fabrício revelou que já recebeu mais de 500 respostas. Seu objetivo é manter um banco permanente para aproveitar funcionários capacitados que possam estar sendo subutilizados no serviço público."

Não é suposição dizer que as metas falharam – ou então não precisaria mudar secretários e ainda mais os de valor político e técnico maior, além do que já se foram sem maiores explicações, como Fazenda e Saúde.

Agora é aguardar se as coisas se arrumarão e os pés encostem no chão, porque dentre apoiadores de primeira hora do prefeito - e até muitos eleitores fieis e confiantes - há uma onda de insatisfações com os rumos tomados. Isso comprova que não é apenas a crítica pela crítica, a contrariedade pela contrariedade ou a oposição pela oposição. 

Diz Thiago Sfendrych , via Facebook:

Aderbal suas postagens sao pontuais. 
Eu já esperava por isso, pois fui o verdadeiro responsável e coordenei o projeto. Conheço cada uma das antas que o Fabricio encostou na prefeitura, fui o primeiro a falar isso no PSB e por isso fui banido do grupo.
Agora que paguem pelos erros.
Na hora de pesquisar e criar o plano de governo não tinha nenhum destes elefantes brancos para ajudar. Estas pessoas apareceram com tudo pronto e se aproveitaram de um prefeito cego e inexperiente. 
Sao 200 propostas registradas no TRE e até agora nem 5% foi concluída. 
E não será, pois a meta principal é fazer o alargamento da faixa de areia, porque pode haver aproveitamento em causa própria. Apenas isso!!!