Passarela da Barra: tá feia a coisa

Lá no começo do seu governo, perguntamos ao prefeito Fabricio Oliveira se manteria os cuidados com a Passarela da Barra, de modo a permitir o seu uso seguro e tranquilo, afirmou que sim. Pois não está cumprindo. A Passarela está sofrendo  a ação de vândalos e outros tipos deletérios em seu interior, principalmente nos elevadores, além de estar descuidada em seu interior e no piso inferior. 

Quando concebida - e aqui não se discute razões ou impossibilidades de sua construção -, serviria para abrigar bar, restaurante ou lanchonete no seu andar principal. Serviria para exposição e mostras artísticas. Poderia ter (já neste governo a proposta surgiu e ficou pra trás) a sede da Secretaria de Turismo e até a da Guarda Municipal - no espaço destinado dos inviabilizados posteriormente restaurante e bar ou lanchonete. Ou quem sabe um desses organismos, se os dois não coubessem.

Optou-se por abandonar, deixar pra lá, como a filha enjeitada. Não encontrar opções para o seu uso, abstraídas as críticas e contrariedade com ela, é pura incompetência. Como dissemos em comentário de vídeo: quem não pode o pouco (cuidar da Passarela), não pode o muito (alargar a faixa de areia). As administrações públilcas são feitas de escolhas - certas ou erradas. No caso da Passarela, se não se a quer ali, achem outra solução. Quem sabe fechem-na e retornem com a balsa. Porque tá feia a coisa.