Percalços institucionais, intolerâncias e saídas da crise

Sobre os eventos recentes e nem tão recentes vivenciados no Brasil, o vice-prefeito Carlos Humberto, de Balneário Camboriú resolveu se posicionar em carta aberta:

Carta Aberta

Alguns acham que diminuindo o preço dos combustíveis, conseguirão com que o povo trabalhador e de bem do Brasil fique calmo.

Outros acreditam que propondo mais esmolas, bolsas ou cotas, também conseguirão com que o povo trabalhador e de bem do Brasil fique calmo.

Esses só não sabem, que quem trabalha, produz, paga imposto, empreende, estuda, acorda cedo, respeita o próximo e os mais velhos, que não tem tempo de ficar o dia todo na internet, que criam filhos, e que fundamentalmente, querem condições de trabalhar e empreender para melhorar de vida, estão cansados do que aconteceu ao longo dos últimos 20 anos no Brasil.

Estão cansados da violência, da tolerância com o uso de drogas, com a roubalheira institucionalizada (benefícios e mais beneficios) em todos os poderes, corrupção, falta de investimento em infraestrutura, ambiente horrível para empreender, cadeias sem ordem, cotas discriminatórias, falta de respeito com professores, idosos, crianças e trabalhadores, e por aí vai.

Os Brasileiros de bem, os que vivem em sociedade e que respeitam a sociedade (porque os que vivem à margem não merecem a proteção dada por ela) querem punição severa para os crimes contra a vida, para o latrocínio, querem ver pessoas que vendam ou consumam drogas na rua, levando uma bela surra, porque isso resolve muito mais que outra coisa, querem ordem, querem os vadios na cadeia e não na porta de sua casa ou comércio, querem poder defender com armas de fogo suas casas, famílias e patrimônio, ambiente de trabalho sem burocracia e controle Estatal, onde vença o melhor e o mais esforçado, querem boas estradas, portos e aeroportos, boa educação para todos, menos impostos, mais apoio às Forças de Segurança, porque confiam nelas, querem ser defendidos, porque hoje só quem não trabalha tem defesa pelo Estado.

As causas que nos trouxeram a isso são conhecidas, Direitos Humanos para quem não os respeita, o Politicamente Correto, a desestruturação da Família, o desrespeito com quem gera riqueza e trabalha, uma Constituição fraca, cheia de direitos e com falta de deveres, políticos fracos e em muitos casos corruptos, falta de investimento em Educação de altíssima qualidade, criação de uma classe de privilegiados dentro do funcionalismo do Estado, aumento excessivo do Estado, e aumentos inescrupulosos nos juros e na carga tributária, onde quem mais ganha no Brasil, é o especulador, os marajás do Estado e os lobistas, enquanto os produtores e trabalhadores ficam com a sobra.

Eu espero, porque sou um republicado e democrata, que achemos uma saída para isso rapidamente, e através da democracia. Por outro lado, sei que uma virada de mesa com uma solução antidemocrática e militar, resolveria rapidamente alguns dos nossos problemas e trariam estabilidade, mas ao longo prazo nos trariam outros problemas, algo que não queremos.

Me atrevo a sugerir algo: para o curto prazo, eleições antecipadas, com candidaturas avulsas, dando legitimidade e poder de escolha ao cidadão; no médio prazo, uma nova Constituição, mais simples, e que atenda aos interesses dos Brasileiros (trabalhadores, produtores, estudantes, mulheres e homens de família), atrelada a uma verdadeira reforma política, que defenda os interesses da sociedade e não dos políticos; no longo prazo, reforma do Estado, dos Poderes, com drástica diminuição de tamanho e de benefícios, que nos dê espaço para investir e crescer, diminuir a burocracia e a carga tributária, investir maciçamente em Educação, dando saúde e segurança para o Povo de bem, levando o Brasil a ser uma potência, e não uma republiqueta.

Precisamos rapidamente achar um caminho para atender às demandas da sociedade (a verdadeira), precisamos urgente de representação política para acharmos um caminho, quem nos representa a todos é o Congresso Nacional, onde estão nossos parlamentares (acovardados ou simplesmente são fracos e não sabem o que fazer). Cabe a eles nesse momento dar o rumo, se isso não acontecer já, a sociedade que é soberana, achará quem os proteja, e mais uma vez viveremos uma virada de mesa, e não se enganem, o motivo é sempre o mesmo (representantes fracos e que não atendem os interesses do povo), porque nunca no Brasil (nem em 1964) ou no mundo, algo assim ocorre sem que seja a vontade soberana da maioria.

Essa crise não acaba com um possível fim de mais uma greve, a instabilidade continuará, até que uma solução verdadeira aconteça, até que os interesses do Povo de bem sejam atendidos, gostemos ou não. Deus proteja o Brasil e os Brasileiros!

Carlos Humberto Metzner Silva
Brasileiro