As pressões por soluções do Marambaia

Continuam quentes as tratativas em torno de soluções rápidas e eficientes para a poluição causada pelo Canal Marambaia. O Grupo Rio Marambaia  Vivo, no WhatsApp, mantém intensa discussão, com participação de mais de 180 membros, maioria moradores de condomínios ao longo do canal e do Pontal Norte (Pioneiros, basicamente), apontando as mazelas causadas pelo esgoto despejado no curso d’água e as medidas possíveis para se remediar e resolver.

Muitas vezes o debate desanda e fica mais acalorado, outras vezes o foco se perde (mas retorna ao ponto de origem) e os pontos de vista vão disseminando a busca de uma saída, através de várias sugestões técnicas. Uma delas a construção de um emissário de esgoto de boa dimensão por dentro da galeria pluvial da Avenida Atlântica, o que resolveria a insuficiência de condução dos dejetos, até, da Estação Elevatória ao lado do Hotel do Bosque.

Há riscos, porém, em nossa opinião e, por isso, seria interessante levantar questionamentos:

  1. Qual técnica colocará os tubos dentro da galeria.
  2. Se isto não compromete a própria função da galeria, de extravasar o excesso de água pluvial acumulado em casos de chuvas muito fortes.
  3. Em caso de assoreamento com areia no interior da galeria – fato comum e recorrente – a limpeza não ficará comprometida?
  4. E ocorrendo um rompimento do emissário no interior da galeria, qual o efeito disso, sabendo-se que, de imediato, todo o esgoto fluirá direta e rapidamente para o Pontal Norte e Barra Sul, atingindo exponencialmente a condição do mar da Praia Central e considerando-se ainda que, para reparo, ter-se-á de abrir a galeria para chegar à tubulação. E, havendo o rompimento e o esgoto espargir por toda a galeria pluvial, como fazer a limpeza disso? Imagine-se, aditivamente, o odor que verterá pelas bocas-de-lobo da Atlântica, por onde, também, podem aflorar os dejetos resultantes do rompimento, invadindo toda a Avenida Atlântica. Enfim, parece ser um risco enorme tubular esgoto por dentro das galerias pluviais.

Observações necessárias:
O atual prefeito está sofrendo toda a pressão pela inércia de anos e anos. Reconheçamos que é competência dele assumir a ponta das soluções do problema, mas culpá-lo por tudo não parece ser lógico. Ainda mais sabendo-se que há mais de 100 poluidores potenciais e identificados ao longo do canal, todos notificados e até multados muitos deles, sem nenhuma medida positiva. Continuam poluindo. A saber o porquê da Emasa não lacrar de vez esses esgotos e acabar com a história, forçando uma decisão. Sem contar o fato de que a Emasa sabe quem são, mas não os anuncia. Este sigilo os ajuda a manter-se agredindo o ambiente. Anunciados, quem sabe assumiriam uma posição. Ruim isso de todos culparem alguém e não reconhecerem seus próprios pecados.  Sem falarmos no que produziu isto tudo que vivenciamos de agressões ambientais da cidade, não só no Marambaia. Aliás: através do saturamento das EE, a própria Emasa é uma das poluidoras.

No dia 8 de dezembro, 15 horas, no Pontal Norte, haverá uma manifestação, convocada por WhatsApp, alertando sobre a situação e invocando providências. Vamos ver quantos vão e quais os efeitos.