Ranking nacional aponta Balneário Camboriú como o município mais saneado de SC

Todos os requisitos para ofertar à população um sistema de saneamento básico adequado são cumpridos por 85 municípios brasileiros, de acordo com o Ranking da Universalização do Saneamento, divulgado nesta segunda-feira (17) pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes). 

Os municípios foram avaliados quanto à oferta de serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. Em cada uma das cinco categorias, as cidades receberam uma nota que vai até 100. Aqueles que tiveram um desempenho, com a soma das notas acima de 489, ocuparam o topo do ranking e foram classificados como municípios Rumo à Universalização.

Ao todo, participaram do estudo 1.868 municípios, que são os que possuem os dados necessários para serem ranqueados. Os demais 3,7 mil municípios brasileiros sequer possuem essas informações. Os dados divulgados do ranking são referentes a 2017.

O ranking de 2019 reúne 1.868 municípios, representando 68% da população do país e mais de 33% dos municípios brasileiros que forneceram ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento as informações para o cálculo de cada um dos cinco indicadores utilizados no estudo. As 27 capitais brasileiras estão presentes no ranking.

Das capitais, Curitiba está na categoria Rumo à Universalização, nove capitais na categoria Compromisso com a Universalização, 16 na categoria Empenho para a Universalização e Porto Velho na categoria Primeiros Passos para a Universalização.

Em SC, Balneário Camboriú é o município melhor colocado no ranking, vindo depois, pela ordem, Jaraguá do Sul, Florianópolis, Blumenau, Chapecó, Criciúma, Joinville, Itajaí, Herval D’Oeste, Orleans, Luzerna, Campos Novos, Correia Pinto, Bom Jardim da Serra, Joaçaba, Catanduvas, Sombrio, Ponte Alta do Norte, Capão Alto, Santo Amaro da Imperatriz, Itá, São Miguel do Oeste, São Bento do Sul, Ilhota, Bombinhas, São Joaquim, Rancho Queimado, Urussanga, Rio Negrinho, Indaial, Itapiranga, Dionísio Cerqueira, Içara, Porto União, Praia Grande, Galvão, Fraiburgo, Pinheiro Preto, Cordilheira Alta, Caçador, Pomerode, Concórdia, São Lourenço do Oeste, Ponte Serrada,Cerro Negro, Coronel Martins.

(RANKING COMPLETO AQUI)

A classificação é por pontos considerados os requisitos: abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos, destinação adequada, taxa de internações e se tem ou não plano de saneamento básico.

Piracicaba, São Caetano do Sul e Rio Claro, em SP, têm pontuação máxima em todos eles.

Balneário Camboriú, o primeiro de SC no ranking, aponta 96,11% de cobertura de abastecimento de água, 86,49% em coleta de esgotos, 100 por cento em tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada, somando, no total da pontuação, 482,60 (o máximo é 500).

A Lei nº 11.445/2007 estabelece em seu art. 9º que o titular dos serviços de saneamento deverá formular a respectiva política pública de saneamento básico, devendo, para tanto, elaborar os planos de saneamento básico, nos termos desta Lei. Esses planos, como bem definiu o IBGE no Suplemento de Saneamento da Pesquisa de Informações Básicas Municipais, são estudos que contemplam o diagnóstico, os objetivos e as metas de universalização do saneamento, entre outros conteúdos.

AGENCIA BRASIL