Vereador da base do governo entra em conflito com partido por causa de projeto de empréstimo

Literalmente, o pau quebrou no PSB, principal partido da base do governo. O PSB Jovem resolveu retaliar o vereador do partido na Câmara Municipal, Lucas Gotardo, por sua posição em relação ao projeto autorizando empréstimo de R$ 30 milhões para investimentos no sistema viário da cidade.

Tudo começou com Lucas querendo mais tempo para analisar a matéria e o vereador Gelson Rodrigues, seu colega de partido e na Comissão de Finanças, acusar Lucas de querer procrastinar os prazos e, assim, prejudicar a operação.

Lucas protestou em pronunciamento na mesma noite na tribuna da Câmara.

Agora, o PSB Jovem resolveu partir pra cima de Lucas, em nota oficial:

Resposta ao vereador Lucas Gotardo

Na noite da última terça-feira (18), tivemos a tristeza de ver o vereador Lucas Gotardo faltar com a verdade no Plenário, sobre o projeto de lei nº 96/2019, que tramita na Câmara de Vereadores, referente ao empréstimo de R$ 30 milhões junto a Caixa Econômica para a pavimentação da nossa cidade.

É triste saber que o vereador e colega de partido Lucas Gotardo tenha descambado para uma oposição em que se falta com a verdade. Não nos intimidaremos a gritos inflamados e posts debochados! Mostraremos a verdade.

Vamos aos fatos!

- Não houve falta de transparência nas informações, como o vereador alega. No dia 12 de junho, foi entregue nos 19 gabinetes do legislativo ofício que detalha as informações sobre juros, carência e amortização do crédito.

- Lucas Gotardo disse que os juros do empréstimo são de 11%. Mas na verdade, os juros são de somente 4,9%, o que mais uma vez demonstra a má vontade do vereador com o município.

- Além disso, o vereador como faz parte da base do governo poderia muito bem ter pedido mais informações ao Secretário de Articulação, Marcos Kurtz, caso tivesse dúvidas sobre o projeto.

- Outro ponto importante salientar é que o mesmo vereador que é contra o empréstimo, é um dos maiores defensores da melhoria da mobilidade urbana e autor de diversas indicações ao Executivo, mas parece que se esquece que sem dinheiro não há como fazer melhorias.

- Se V. Sa. não compactua dos mesmo pensamentos e ideias deste governo por que não sai do partido? Se não está contente por que não se desfilia? É mais honesto da sua parte se desfiliar, se o que é feito neste governo não o agrada.

Ressaltamos, que somos contra a manifestação do vereador Lucas Gotardo e estamos ao lado do povo, que já está cansado de mentiras e de atitudes infantis que mancham as pessoas com vontade de fazer política de verdade em prol de BC. É errôneo enganar a população e dizer que o senhor não tinha conhecimento sobre o projeto de lei.

Pare de ser midiático e deixe de impossibilitar os avanços da nossa cidade. Ser contra isso, é ser contra Balneário Camboriú!

Lucas Gotardo não deixou barato e, na mesma postagem no perfil do PSB Jovem no Facebook, soltou os cachorros:

Resposta à nota do PSB Jovem BC:
Fico contente que tenham se manifestado respeitosamente por nota. Também fico feliz por minha atitude ter sido capaz de motivar uma postagem, tendo em vista que a última publicação da página foi de janeiro deste ano. Isso demonstra que estamos no caminho certo: o caminho do debate, era o que estava faltando. 
No entanto, não concordo com as ponderações listadas. Antes de colocar meu ponto de vista sobre elas, me adianto em dizer que a sociedade está atenta e não compra mais esse discurso de acusar o agente público de “oposição” ou de “trabalhar contra a cidade”, apenas por assumir uma postura fiscalizatória. Essas visões estão ultrapassadas. 
O embate, mesmo dentro de mesmas siglas e “lados” faz parte da democracia e do direito à livre manifestação, garantidos por nossa lei maior, outrossim, viveríamos em uma ditadura tais quais aquelas tanto refutamos.
Em nenhum momento em destaquei que “houve falta de transparência nas informações”. Essa interpretação foi feita por um veículo de comunicação reconhecido da cidade após o meu pronunciamento, porém, não através das minhas palavras. Mesmo assim, eu faço questão de responder os “fatos” listados. 
De acordo com o documento denominado “Proposta de Assessoria e dos Termos e Condições Gerais de Financiamento de Longo Prazo” emitido pela Caixa e anexado ao Projeto de Lei na semana passada, o item Juros é discriminado da seguinte forma: 100% da taxa CDI, acrescido do percentual de 4,90% ao ano. O CDI acumulado dos últimos 12 meses é de 6,4%. Com isso a taxa de juros efetiva supera os 11% ao ano (6,4% + 4,9%). É preciso ter responsabilidade ao analisar matéria tão importante e não disseminar desinformação à sociedade.
Voltando ao trâmite, o projeto foi protocolado dia 27 de maio, sem detalhamento sobre o que seria feito ou sobre a questão do pagamento. Só no dia 12 (após duas semanas sem nenhuma movimentação do Poder Executivo em buscar o diálogo com os vereadores) o recém empossado secretário de Articulação esteve em meu gabinete com os documentos e detalhes, o que foi inclusive elogiado internamento em meu gabinete. Era essa a relação que faltava entre os poderes, ao menos, era o que imaginávamos naquele momento.
No entanto, durante a reunião de comissões, na terça-feira do dia 18, houve uma infeliz intromissão do meu colega de partido Gelson Rodrigues, que participava de outra reunião na mesma sala. Eu, dentro do entendimento que o projeto merecia mais análise e discussão, fui atacado verbalmente por Gelson em um ato injusto, repressor e ultrajante, como se tivesse obrigação de deliberar a favor da matéria, como se não tivesse direito a exercer meu papel de vereador, ou presidente da comissão, ou mesmo contribuinte.
Eu nunca me declarei CONTRA as melhorias na infraestrutura da cidade. Eu estou sim A FAVOR da saúde fiscal do município e para isso não preciso pertencer a sigla A ou B, basta ter bom senso, usar a razão, refletir! Vale destacar que a comissão está DENTRO de seus prazos para emitir seu parecer, portanto não há má vontade alguma, apenas zelo. Aliás, zelo faria bem à administração municipal na antecipação por captação de recursos, análise de editais e linhas de crédito, para que não fôssemos obrigados a nos degladiar publicamente nesses atropelos burocráticos. Não é isso que eu quero ou espero. Eu quero uma política limpa e clara! 
Nós somos jovens. Temos o dever de dar à política o suspiro que ela precisa para não despencar em uma queda livre de descrédito! Não faz sentido a página questionar minhas postura, me colocando como um inimigo da sigla APENAS porque questionei a má conduta de um colega de partido. Apenas porque temos visões diferentes sobre um tema ou porque estou em busca de esclarecimentos. Digo mais uma vez, isso faz parte do estado democrático de direito e nós jovens devemos resguardar, com todas as nossas forças, esse direito adquirido.
E finalizo, não serei eu que vou impossibilitar os avanços de nossa cidade, muito pelo contrário. Eu estou ao lado de Balneário Camboriú. Os avanços nós conquistamos com respeito, diálogo e entendimento.

====================

Do âmago da discussão, restou a necessidade do esclarecimento de uma dúvida importante: os juros. Afinal, são apenas 4,9% ou 11%, considerada a soma de fatores, no caso mais 6,4% de CDI (Certificado de Depósito Interbancário)? 

VEJA AQUI MAIS ESCLARECIMENTO SOBRE O QUE É CDI