Balneário Camboriú, terra e mãe primorosa de nativos e adotivos

Parabéns, menina linda e faceira, faceira linda e menina. Tudo junto e inseparável.

Ao chegar aqui, quando ainda afloravas o limiar dos teus 33 anos, senti o pulsar de suas veias, na frenética ânsia de buscar o infinito do progresso, na conjugação de todos os verbos da conquista e da vitória. Germinaram aqui sementes minhas, diletos quatro netos - Júlia, Arthur, Matheus e Yasmin. Inveja tive dessa natividade, eterna e sólida. Indesmentível e inquestionável. E orgulhosa natividade pelos melhores e mais auspiciosos motivos. Digo-me cidadão e a tenho como minha terra, tal o amor que te nutro desde quando aqui aportei, ainda antes da mudança do ciclo secular e milenar, no distante agosto de 1997, quando o teu pulsar se ampliava com velocidade estonteante.

Mãe primorosa, adotou-me e aos meus com o carinho com que adota tantos e gera muitos, com que recebe a quem a busca para o lazer, os negócios ou apenas a passagem efêmera. Ou para a pura convivência fugaz de uma noite, jogando-nos olhos a dentro a tua beleza ímpar e a tua audácia quase inexplicável.

Discute-se, ainda, ao longo desse tempo e quiçá no futuro, qual teu horizonte ideal. Diria: qualquer um será bom, porém melhor que adaptemos o eixo em torno do qual rodará teu motor de progresso. Terra de harmonias, de convergências, de côncavos e convexos. Teu paredão à beira mar plantado pode ter sido - e é - uma quase agressão à tua natureza original, mas ainda assim se torna o vínculo com tua história presente.

Suas carências são as mesmas de tantos lugares, mas tuas essências são únicas. Teus defeitos se repetem em qualquer cidade (quem não os têm?), todavia tuas virtudes em poucos lugares há. Cidade 24 horas, terra de oportunidades infinitas, centro generativo de bonomias. Perdoo-te as eventuais contradições e, também por isso e ao revés, espero e preciso do teu perdão.

Te amamos, Balneário, sob qualquer circunstância. Minha família e eu. Serei egoísta nesses votos, mesmo sabendo da universalidade extensiva a tantos. Dobro o cerviz e a homenageio humildemente nesses teus 55 anos.