Novo modelo de atendimento do Ruth Cardoso fecha portas para municípios vizinhos

O novo sistema de atendimento do Hospital Municipal Ruth Cardoso (HMRC) passa a vigorar em cinco meses e deve aliviar a superlotação crescente que supera em muito a estrutura oferecida pelo hospital. O objetivo principal da mudança é garantir o bom atendimento aos pacientes e manter a qualidade necessária no serviço dos que procuram atendimento. 

A partir do novo sistema, os atendimentos no Ruth Cardoso virão de encaminhamentos feitos pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Unidades Básicas de Saúde e unidades de Saúde especializadas do Município.

Neste prazo de 150 dias, será aberto um novo Pronto Atendimento no Bairro dos Municípios e, também, a Unidade de Pronto Atendimento do Bairro das Nações, que se somarão à Unidade de Pronto Atendimento da Barra, perfazendo três portas de atendimentos de urgência e emergência para a comunidade. Com o novo modelo, o Pronto Socorro do Hospital Ruth Cardoso será desativado.

O prazo de cinco meses para início do novo sistema de atendimento do Hospital Ruth Cardoso se dá para que sejam concluídas as obras dos prontos atendimentos das Nações e Municípios e para adaptação da microrregião à nova realidade.

Também nesse período, para a mudança do sistema de atendimento, a Secretaria de Saúde procederá à desabilitação do Hospital Ruth Cardoso da Rede de Urgência e Emergência junto ao Ministério da Saúde e despactuará o hospital junto a Comissão Intergestora Regional (CIR), o que na prática significa que o Ruth Cardoso receberá somente pacientes do Município de Balneário Camboriú no formato referenciado, ou seja, “Porta Fechada”.


“A mudança do sistema de atendimento é necessária para salvaguardar vidas, manter uma qualidade de serviço compatível com as expectativas da comunidade e redimensionar o fluxo de atendimento do Ruth Cardoso à estrutura existente para a qual ele foi projetado”, explica a Secretária de Saúde Andressa Hadad.

“Só neste ano, a superpopulação já causou o fechamento da sala de emergência do Pronto Socorro do hospital 12 vezes, e da UTI neonatal 2 vezes. O hospital trabalha acima do limite, e a tendência observada é de aumento cada vez maior desse fluxo de pacientes para o Ruth Cardoso. Portanto, se o sistema de atendimento não for mudado, em breve vai ocorrer um colapso no atendimento do hospital com graves consequências para os pacientes. Isso não podemos deixar acontecer”, complementa a Secretária.

Histórico e números do HMRC

O Hospital Ruth Cardoso é de média complexidade, com 117 leitos e dimensionado para atendimento a uma população de 135 mil habitantes.

Atualmente atende população de cerca de 300 mil habitantes no sistema “porta aberta” devido à pactuação para atendimento aos municípios da microrregião, nas especialidades de trauma e obstetrícia.

Em razão disso, a média de atendimentos chega a 9 mil pacientes/mês, com custo anual de R$ 60 milhões, dos quais 75% bancados pelo Município de Balneário Camboriú e 25% via SUS.

Dos atendimentos no Pronto Socorro, 61,6% são de moradores de Balneários Camboriú, 38,4% de outros municípios da região. 

Da média de 280 partos/mês feitos, 36% são de Balneário Camboriú e 64% de outros municípios.