Águas de Camboriú planeja implantar sistema próprio de esgoto e água

A concessionária Águas de Camboriú apresentou ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú projeto para implantar sistema de tratamento de esgoto e captação e distribuição próprio de água no município. A proposta contempla metas do plano de ação do Comitê para gerenciar os recursos hídricos e eventos hidrológicos críticos na área de abrangência dos municípios de Balneário Camboriú e Camboriú.

 Entre as metas previstas está a de reduzir em 70% o lançamento das cargas orgânicas na bacia até 2027. Estudos técnicos da concessionária apontam que são despejados diariamente 18.592 metros cúbicos de esgoto no Rio Camboriú.

A empresa prevê investimentos de cerca de R$ 120 milhões. O plano contempla uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), instalação de 280 quilômetros de rede, construção de 30 elevatórias, melhoria dos indicadores de saúde e despoluição do Rio Camboriú. Segundo a diretora executiva da empresa, Thaís Forest Gallina, a concessionária prevê a universalização do sistema de esgoto do município em 10 anos, prazo contado a partir do início das obras.

O projeto preliminar foi desenvolvido com base nas áreas em expansão da cidade e de acordo com o plano diretor. Os investimentos necessários para a implantação do sistema ficarão sob responsabilidade da concessionária.

Carlos Roma Junior, presidente da Águas de Camboriú, explica que para implantação do projeto é necessária a assinatura de um termo aditivo contratual, incluindo nos objetivos do contrato as obras de esgoto como responsabilidade da Águas de Camboriú.  

De acordo com o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Camboriú, Gilmar Pedro Capelari, a implantação de um sistema de tratamento de esgoto em Camboriú é prioridade absoluta. “Nós (comitê) temos uma preocupação muito grande com a poluição, pois tem reflexos econômicos e sociais que precisam ser resolvidos”, disse.

Na reunião, o Comitê, representado por 14 entidades da região, deliberou levar a proposta do projeto apresentado para debatê-lo com o prefeito Élcio Rogerio Kuhnen, como alternativa para resolver o problema do esgotamento sanitário no município.